Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

E QUEM CHOROU FUI EU...


  Seu moço, eu num sei contar causos, não! Nem alegre, nem triste. E olhe que de tristeza eu entendo...Cuma? Olhe pra onde moro, moço, meu casebre é de taipa, barro e   pedaços
de pau... Nois num tem água de torneira, a pouca água que nois consegue a gente coloca  é
no pote. Energia aqui num tem, nois usa isso aqui, uma lamparina. Oxe, isso que o   moço
tá falando eu já vi na cidade, lá tem essa tar de televisão, geladeira, tudo iluminado de luz,
uma belezura!
  Isso num é uma rede diferente não, seu moço, é que nois ganha uns sacos vazio de farinha
e faiz rede pras crianças durmir, uns lençóis...
  Quer não, moço, nois aqui nem faz interesse por energia, nois tem a luz mais linda do mundo, que é a lua, de noite ela alumia todos os nossos caminhos...Medo de que, moço? Pobre de seu só tem a vida, quem vai querer vida de um pobre? Interessa geladeira não, seu moço, agente bebe é água fresquinha do pote! Teve? Carece não! A famia é grande, os amigos são muitos, a gente proseia até tarde! Voces tem tudo e quer mais e mais...nois só quer que Deus mande chuva, muita chuva! A prantação fica que é uma belezura, nois não passa fome, nem nois, nem as plantas nem os bichos morrem de sede...
   Mais chuva num vem sempre  não, moço, só quando Deus quer! Já ouvi sim falar nessa tar bolsa, moço, mais num é todo mundo que recebe não, também num arresolve nosso plobrema... Esmola dos ome nois não precisa não, moço. Nois somos fortes, temos a "casca dura", bastava que os ome nos ajudasse com a seca, uma irrigação, um poço, uma cisterna pra nois ajuntar uma aguinha...Esmola pra quem é sadio, pra quem num tem medo de trabaiar é humilhação, seu moço! Essa tristeza toda, essa pobreza, essa fome que nois passa é por causa dos ome, moço, eles num tem amor a Deus, não! Se tivessem eles ajudavam a nois, seus irmãos... também rico num quer ser irmão de pobre, moço. Nem por amor a Deus! Eles vem aqui, conversam com nois, diz inté que vão mostrar tudo na tar de televisão! Aí vão se embora, moço, e tudo continua na mesma: seca, fome e miséria!
   Já vai, seu moço? Oia, num te convido pra armoçá  purque  nois num tem nada pra comer hoje...As crianças? Ocê tá vendo aquilo secando nas pedras? É casca, moço! Casca de banana, de manga, ficam sequinhas e as crianças comem...É docinho, moço, mas não mata a fome não...Ué, o moço tá chorando pru que? É nossa realidade, moço: abandono, seca, miséria e sertão!


Obs: Essa é a diferença do nordestino/sertanejo, se não tem acesso nem a energia elétrica,quanto mais a educação?

Frann
Enviado por Frann em 14/01/2006
Reeditado em 15/01/2006
Código do texto: T98790

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Francy Maia http://recantodasletras.uol.com.br/autores/Frann). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Frann
Fortaleza - Ceará - Brasil, 62 anos
35 textos (3693 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:43)
Frann