Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto



O bicho-da-seda ia de oco de oco, à procura de si mesmo.

Poesia esparsa, colorida, densa mas translúcida.

Costumava possui-la sem se deixar consumir como vira acontecer.

... E o bicho-da-seda tecia... Tecia fios de uma inabalável textura, de leve carícia, pontes entrevistas que rebrilhavam apenas e só em luz de feição.

Descobriu um casulo devoluto e começou a prepará-lo para si, na dúvida, com discrição.

No meio silêncio. Na subtileza macia da seda, escrevia fios de presença: a matéria mais resistente e dúctil que se conhece.

O bicho-da-seda sábio, quando achou que o casulo estaria quase pronto, foi observá-lo.

Gostou do trabalho e propôs-se conclui-lo.

Ao mesmo tempo congeminava: como entraria no casulo?



Com calma e afinco, não descuidou de envolvê-lo. E o casulo ia crescendo, preparando-se por dentro para a sua função de ninho.

Um dia o bicho-da-seda foi ver com cuidado se o casulo construído teria a forma que imaginara para ser a sua (fôrma). E achou que teria.

Falou-lhe de ninfas e de borboletas.

O casulo entendeu tudo, sabia que o seu destino seria ser desenrolado e tecido em levíssimo manto que lhe envolvesse o corpo tal um poema envolve a alma.

Mas na pungente urgência que o destino lhe ordenava, o de ser berço, deixou o bicho-da-seda aninhar-se até que a metamorfose acontecesse e ele depois voasse, deixando sem um olhar a casca vazia.



E assim se cumpriu: O bicho-da-seda continua o seu destino de insecto perfeito, criando.

A casca, que não feneceu, desenrola-se dia a dia, em fios de suavidade, estendidos no tear onde uma ninfa secreta fabrica poesia, leve como se de seda,

secretamente envolvente, sem outra função que a de vestir a alma.




Almada, 27/1/2004

Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 02/04/2006
Reeditado em 11/09/2006
Código do texto: T132702
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Maria Petronilho
Almada - Setúbal - Portugal, 64 anos
1238 textos (130525 leituras)
60 áudios (14347 audições)
9 e-livros (5156 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 18:42)
Maria Petronilho

Site do Escritor