Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

                                                               

Levando gato por lebre!!!



          Cansada daquela mesmice, a bruxa mestra resolveu dá uma festinha para as suas discípulas, uma vez que as aulas estavam consumindo muito do seu tempo e, por conseguinte da sua paciência. E, para mostrar que estava disposta a agitar o reino, ela enviou vários torpedos para os reinos vizinhos, convidando todos os magos, bruxas e demais aprendizes a marcarem presença naquela que prometia ser a festa das festas, como há muito séculos não se via algo assim. Até porque a nova geração de bruxas era mais descontraída e ela nunca concordara com aquela estória de que bruxa tem que atender aquele estereotipo de velha, corcunda, malvada e mal amada. Ela não! Ela era show de bola! Desde que assumira a direção da escola, foi logo tratando de renovar tudo. Ao invés do barraco velho e cheio de poeira e aquele caldeirão fumacento usado para ferver as criancinhas vivas, ela mandou construir uma casa grande, cheia de conforto, microwave para garantir uma alimentação rápida e totalmente light, até porque colher de pau era algo que só poderia ser visto no museum das bruxas e a única fumaça que se via era a aquela vinda da sauna aonde ao fim do dia as bruxinhas se reuniam para liberar as tensões dos feitiços apreendidos ao longo do dia. E se fosse para ferver, que fosse na banheira de hidromassagem.

          Ela era de fato, uma bruxa totalmente fashion!!! Era idolatrada pelas suas aprendizes, objeto de contemplação e desejo dos magos e seus futuros sucessores e odiada pela ala conservadora, of course. Mas tá pensando que ela tava preocupada com a opinião pública ? Nem um tiquinho assim. Dizia que stress dá rugas e era melhor prevenir do que remediar. Tinha coisas mais importantes a ensinar que receitinha para curar rugas adquiridas desnecessariamente e festa era sempre uma ótima forma de socializar e saber o que estava rolando entre a moçada. Resolveu então distribuir as tarefas de organização da festa entre as discípulas. E cada uma ficou com uma responsabilidade. Era tanta coisa para arrumar, local, música, atrações, o cardápio... Ah! Tudo tinha que sair perfeito! E não é que ela cismou que queria carne de coelho para servir aos convidados logo no início! Tá certo que é um bichinho que se reproduz assim num piscar de olhos, mas também some da vista da gente com a mesma facilidade. Sua carne era considerada de primeira no reino e por isso mesmo estava cada vez mais difícil encontrá-la, especialmente em grande quantidade.

          Como as meninas não poderiam perder a chance de fazer tudo perfeito para a festa, resolveram ir à caça. Encontraram alguns, aqui e ali, mas a carne não seria suficiente para o número de convidados. Foi aí que uma bruxinha muito metida a esperta decidiu armar uma armadilha para atrair os coelhinhos e deixou no meio da floresta, juntamente com as cenourinhas, alguns vegetais e um prato de leite. Mas todos os dias a comida desaparecia, o leite havia sido bebido por completo e nem sinal de coelho. Os dias foram passando e nada. Resolveram então armar uma armadilha maior, mas dessa vez se cercaram de todas as ferramentas de encantamento possíveis. Uma delas disfarçou-se de coelhinha e ficou ali, fazendo aquele tipinho bem desprotegida, ao lado do pratinho de leite e quando já era escuro, ouviu-se um barulho quase que ensurdecedor!!! Era a armadilha fechando e a danada da bruxinha ficou presa também. E parece que dessa vez haviam capturado um dos grandes, talvez o mais raro e esperto de todos. Ele se batia todo, mas não teve jeito, teve que se render e foi levado para o reino como um grande troféu. O prato principal estava garantido. Enquanto isso,  a Bruxa mestra se esbaldava em seus sais, sem nem imaginar que seu jantar altamente calórico e "engordiet" já estava a caminho.


P.S. Para  Najah DL. Obrigada por toda a magia e encanto!!!

*Foto: Sandra Mara e o gatinho anônimo - Salem - MA - Halloween/2005


Boston, 08 de Maio de 2006.
10:41 pm 

Sandra Mara
Enviado por Sandra Mara em 08/05/2006
Reeditado em 30/11/2007
Código do texto: T152803

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sandra Mara
Estados Unidos
84 textos (12087 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:11)
Sandra Mara