Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Último Baile

Um salão grandioso, um momento único de sua vida, o som afinado, vozes demonstrando alegria, tudo muito próximo da perfeição.

Todos aqueles a quem havia amado estavam ali, chamando seu nome....

Seria um sonho?

Não, ele compreendeu que aquele era o sinal de que o inverno de sua vida estava começando.

O maior amor de sua existência sorria abertamente para ele em consonância com a perfeição daquele instante. Seu corpo, trajado em um belo vestido de gala, parecia possuir luz própria, como um verdadeiro corpo celeste. Sobre todos pairou a sensação de que ainda que não houvesse mais luz, aquela presença bastaria para manter todo o salão iluminado.

Será que ainda havia luz?

Não importava mais, ninguém ali estava preocupado com coisas tão banais.

Não havia mais fome, nem sede, nem frio e nem medo...

Será que não havia mais medo? Estaria ele enganado?

O medo ainda existia sim, bastou seus pensamentos passarem próximos à área a ele destinada, que o mesmo voltou a surgir.

Os inimigos logo surgiriam no salão, aquilo não era permitido, não havia regra que permitisse isso!

A regra deve ser respeitada! O combinado não é caro... para aqueles que combinaram, os encarregados de cumprir que se ajeitem da melhor maneira possível...

Eles entrariam lá disparando suas poderosas armas, matando inocentes e fazendo o que mais fosse preciso para impedir aquela situação de continuar...

E ele não queria ver nenhuma daquelas pessoas mortas...

Numa atitude desesperada gritou para que tudo parasse, para que todos se silenciassem ou ele sofreria muito com o que poderia acontecer.

Um senhor de idade avançada se destacou da multidão e veio em sua direção:

- Filho, não tenha medo! Aqui, eles nada poderão fazer contra nós, somos novamente livres!

O medo do homem cedeu, seus olhos agora se enchiam de lágrimas de felicidade, Podia novamente ver seu pai, que há tantos anos havia desaparecido sem deixar notícias...

A grande festa retomou o ritmo de antes.

Os amigos de toda uma vida confraternizavam entre si naquele momento de magia. E assim teriam permanecido por dias se logo não houvesse chegado a hora do jantar.

O jantar fora servido eu uma grande mesa redonda, na qual todos os presentes puderam confortavelmente se acomodar e desfrutar das suas comidas preferidas acompanhadas por vinhos de sabor superior aos melhores que suas bocas já haviam provado antes. A sobremesa em nada faltou em equivalência às demais coisas daquela noite de festa.

Após o término desta refeição, o baile oficial se iniciou. Ele dançou, com sua amada, diversas músicas e ao invés de ficar cansado, cada vez tinha mais forças para dançar e continuar a aproveitar aquele inesquecível instante.

Quando o baile finalmente teve fim, cada um seguiu para seus respectivos aposentos, cada qual melhor dotado de luxo e conforto.

Ele ainda contemplava a beleza de sua macia e quente cama quando se viu subitamente acordado por um alto soldado.

Estava novamente deitado naquele dormitório desconfortável e fétido, lotado de semi-homens que ainda teimavam em viver, apesar das privações desnecessariamente impostas pelos aprisionadores.

- Levante-se logo judeu! Chegou a hora de vocês irem tomar banho!- bradou o jovem oficial alemão, tão jovem que poderia ser filho da maioria dos homens ali presentes.

Ele sabia que não voltaria daquele maldito falso banho na câmara de gás, mas mesmo assim permaneceu sereno. Ele tinha acabado de sonhar com o céu e logo veria seu sonho se tornar realidade...
Jossef
Enviado por Jossef em 19/05/2006
Código do texto: T159265
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jossef
Londrina - Paraná - Brasil, 29 anos
23 textos (3095 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:28)
Jossef