Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma viagem inesquessível!

           Sexta-feira, 17 horas. Peguei um ônibus para Stº Antônio de Jesus, interior da Bahia, próximo a Salvador. Estou indo para fazenda de amigos, pois em Stº Antônio sempre tem vaquejada, não que eu goste muito, tenho muita pena dos bichos, mais é uma oportunidade de viajar, coisa que adoro e rever amigos que a muito não vejo. As meninas vieram  quinta-feira, eu só pude vir hoje, não consegui dispensa do trabalho, mais estou até gostando, hoje estou muito agitada, meu sangue está fervendo e a vontade de fazer amor parece que não sai do meu pensamento, acho que estou a muito sem ter um namorado e isso está começando a me deixar nervosa. Estou assim meditando nas minhas sensações, quando sinto um perfume forte, amaneirado no ar, e uma voz grave me pedindo licença para sentar ao lado, me viro, e para meu encanto, me senta um homem de mais ou menos 1,80 , com uma calça jeans apertada, e um olhar que denuda qualquer mulher. Fico olhando e balbucio um, fique a vontade quase inaudível, me senti uma pata,  viro para a janela. Fecho os olhos, mais meus sentidos estão ligados no homem ao lado com sua presença tão máscula, de repente seu braço roça no meu e um arrepio gostoso, que começa no pescoço e vai descendo até o umbigo me agita mais ainda, não tiro o braço e ele roça mais uma vez, suspiro, acho que estou ficando maluca mesmo, pois logo começo a imaginar aquele desconhecido me agarrando e me beijando como aqueles beijos, de novela entende, bem “técnico”. Sorriu para mim, mais os pensamentos vão tomando forma e vou ficando excitada, me agito e coloco as pernas em cima da poltrona, estou usando um vestido desses bem soltinhos que amarra no pescoço e com o movimento ele desce e minhas pernas ficam a mostra, mais eu não me incomodo, afinal, se posso ficar pensando besteira, posso muito bem fazer de conta que sou uma fêmea seduzindo o macho escolhido, rindo mais uma vez comigo, viro o rosto na direção do meu objeto de desejo, abro os olhos e para minha surpresa, ele estava me observando e seu olhar me deixou ainda mais excita. Ele sorri para mim e diz: __Você é uma tentação sabia? E se aproxima, fica quase colado com meu rosto e seu hálito acaricia meu rosto, um aroma de tabaco e madeira e meu coração dispara com a proximidade, ele percebe o tremor e me beija de mansinho, fico ansiosa e minha respiração denuncia a minha entrega, é a deixa, ele aprofunda o beijo insinuando a língua dentro da minha boca, seu sabor é delicioso, a saliva doce me deixa ainda mais alucinada e correspondo com um ardor que até eu desconhecia, o desejo contido explode como uma bomba dentro de mim, não me incomodo com mais nada, esqueço até que estamos em um ônibus e alguém pode nós ver, só me interessa  aquela sensação deliciosa de abandono e prazer e quando dou por mim, ele já está acariciando meu seio com a ponta do dedo e eu louca para sentir a boca no biquinho intumescido, meu seio parece querer sair do decote e pular nas mãos dele, ele claro percebe e afaga e me apalpa e geme baixinho me chamando de delicia. Nossos beijos vão ficando cada vez mais audaciosos e as mãos dele também, alisando minhas coxas por baixo do vestido e a tarde caindo, a  penumbra nós convidando a mais intimidade, ele me afaga a vulva encharcada e geme louco de tesão pois sente que estou pronta para ser possuída, diz que precisa me ter ali mesmo, acordo para a situação e digo que não dá jeito, que é muito arriscado, que a única maneira de aplacarmos esse desejo maluco é, eu fazer ele gozar na minha mão ele fazer o mesmo comigo, ele concorda e me acaricia com mais intensidade a vagina, vai tocando até achar meu lugar mágico, me contorço e mordo sua boca , seu pescoço, louca de tesão, toco seu sexo...  Nossa, que membro grande e grosso, fico ansiosa para tê-lo nas mãos e abro sua calça deixando a mostra um pênis,que quase não consigo agarrar inteiro, acariciando com movimentos para cima e para baixo, apertando e enfiando a língua no seu ouvindo, dizendo o quanto ele é grande e como eu queria senti-lo todo dentro de mim, ele geme e chora, incrível, ele chorou e eu me senti a mais  poderosa das mulheres e ao mesmo tempo completamente dominada por aquele estranho, ele goza na minha mão e eu na dele. Fico assim, sem me mexer, nunca gozei tanto, nunca me senti tão mulher e tão fêmea em toda a minha vida. Sorrindo de olhos fechados posso sentir ele me beijar e cheirar meu rosto, achei o carinho tão gostoso. De repente a realidade me acorda como uma ducha fria e penso: __Meu Deus, acabo de viver algo tão íntimo com um homem que nem sei o nome, como é que vou olhar para ele? __Não tem outro jeito vou ter que sair de fininho, afinal, o ônibus está  manobrando na rodoviária , Alice já deve está à minha espera, tenho que pegar minha mochila e sair o mais rápido que eu puder, se não acho que vou morrer se tiver que perguntar o nome dele__ Me levanto e digo que vou me arrumar no banheiro, ele concorda, diz que vai me esperar, se arruma, recosta na poltrona e me aproveito do descuido, pego a mochila e corro pelo corredor como se mil demônios tivessem me perseguindo, desço do ônibus e como imaginava, Alice já estava me esperando, digo que temos que sair urgente dali, que depois explicava, ela fica nervosa mais no caminho, contando o ocorrido ela me fala: Você é completamente louca, sabe que  sempre tive a fantasia de fazer amor num ônibus, aliais, eu só não, um monte de mulheres, você deveria escrever para uma dessas revistas masculinas, sua história daria  um bom dinheiro. E ele, cadê? ___Sair correndo feito uma louca, nem perguntei o nome dele, o que acho uma pena, menina, ele é totalmente irresistível, ai que vontade de fazer tudo de novo.__ Fomos rindo até em casa e eu contando dos dotes do meu querido desconhecido. Na Fazenda, tomei um banho e troquei o vestido, sei lá, gosto de usar calça em vaquejada, mais por causa do ocorrido resolvi usar outro vestido, desta vez um pretinho, também de amarrar no pescoço, que realça meus seios alvos e quando o vento passa, faz carinho nas pernas, queria deixar bem viva, aquela sensação gostosa que ainda estava impregnada em mim. Os beijos, trocados ainda estavam na minha boca e as mãos dele, parece que continuavam a me tocar, foi mágico.  Alice vendo minha demora grita da sala: __Acorda bela adormecida, o sonho acabou!__ Dou muitas risadas e vamos eu, ela e o irmão, Hélio, para o local onde os proprietários preparam os animais para a apresentação. Quando estamos chegando, meu coração quase solta pela boca, vindo em nossa direção vem vindo o meu galã, e para minha surpresa maior Alice corre e ò abraça. Imagine uma pessoa completamente anestesiada, “Eu”. ___Gabriel meu querido, você não vinha só no Sábado? __Ao que ele responde sempre sorrindo.__ Pois é, quis o destino que eu tivesse um pouco cansado para dirigir e resolvi vir de ônibus, você não imagina a viagem maravilhosa que eu fiz, diz isso olhando diretamente para mim. Alice, que não é boba nem nada, logo associa o cara do ônibus a Gabriel e caiu na gargalhada. __Não me diga que você veio no mesmo ônibus que minha amiga Lavínia,? __Ele retruca entendendo o riso.__ Você se refere a essa moça linda que está com você? Sim, vim exatamente sentado ao lado dela e posso dizer que não poderia querer companhia melhor.__ Fiquei passada , mais no fundo muito feliz, algo me dizia que a noite prometia. Bom passado o constrangimento, conversamos bastante e Gabriel me surpreende cada vez mais, além de delicioso é inteligente e bem humorado, qualidades que me fascinam num homem ainda por cima é  divorciado, tirei na loteria sozinha! A certa altura , ele pede licença a Alice e as pessoas que estavam conosco no bar, me pega minha mão e me convida para dar uma volta, usando  o pretexto de mostrar seus animais que vão participar do rodeio, vamos nos distanciando até chegar numas baias bem escondidas dos olhos curiosos. ___Estava louco para te beijar. Você quer me enlouquecer, me seduz daquele jeito e some?__ Dizendo isso me agarra pela cintura e cola o corpo no meu, posso sentir seu desejo já bem pronunciado no meio das pernas e isso me excita ao máximo...Outra vez a mágica volta a  tomar conta de nós  e nos entregamos ao desejo que consome nossos corpos. Ele me morde e me acaricia os seios, lambe e suspira. __Preciso levar você para uma cama, preciso ter você.__  Eu suspiro e digo bem próximo a sua boca: __Não dá tempo, quero você agora.__ Nunca fui tão ousada em toda minha vida e adorei. Ele me carrega para dentro da baia e me deita no feno, baixa a alça do vestido e suga meu seio enquanto com a mão acaricia o outro, vai descendo a mão e suspende meu vestido, vai subindo com a mão por minhas pernas e me beijando, me mordendo, cheirando minha pele, me chamando de delícia, arranca minha calcinha e enfia os dedos na minha vulva encharcada, pronta para ser penetrada. Se afasta para se livrar das roupas e volta para mim sorrindo, pois percebe o efeito que sua  nudez causa em mim, meus olhos brilham e me abro inteira para ele, que se enfia como um louco e gemia num entra e sai  alucinado. Agarro suas nádegas e o puxo mais para dentro, enrosco minha pernas em volta de sua cintura e gozamos sem nenhum pudor, só prazer. Foi simplesmente divino. Bom ,não preciso dizer que o fim de semana foi um delírio só, agora, na hora de ir embora, ninguém, além de Alice, entendeu por que, resolvemos voltar de ônibus!
Observadora
Enviado por Observadora em 01/08/2006
Código do texto: T207015
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Observadora
Salvador - Bahia - Brasil, 50 anos
487 textos (27393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:12)
Observadora