Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ardente desejo de Kaula

Uma jovem pode desconhecer o poder que a cerca, mas o poder a deseja de forma intima e oculta, em um belo vilarejo, a morada da inocente Kaula, que desperta para o caos interior, como o próprio choronzon em pessoa.Agora Kaula não reconhece mais a si e a seu mundo, os antigos contos de fada, sua pálida face está o reflexo da dúvida.

17 de julho
“Não consigo mais contemplar ao sol, sua beleza e vastidão parecem inatingíveis, seu apogeu e o meu fim, a noite me escraviza.”
                                                                                                   Kaula

Todas as noites ao gritar e escutar seu uivo de adoração a lua,o sangue lunar e o derramar da vida na missa do fênix,seu sangue a materialização de sua consciência a escuridão,desastres eróticos e a oferenda de sua carne a raposa astuta da noites,reflexo do homem atroz que a espera.
  Noite lhe chama... ao desespero dos místico luar que desaparece no seio de Nuit.
   O príncipe esta a sua espera,o sabor do pecado deste mundo,a transição de uma doutrina de sofrimentos e paixão para um eterno êxtase e paixão de uma viajem ao mundo de ilusões.
  Este príncipe Ver a dama de vermelho,com a alegria e graças sem prever o que lhe aguarda,Kaula foge mesmo sem vontade e tenta o que não quer,enquanto escuta ecoar em seu interior:

“Não existe temor, daqui, em diante, dissolva-se; o eterno êxtase esta na boca de desconhecido”

Kaula ver o lótus, e a energia primeva esquecida,tudo que antes era estranho,agora lhe pertence,as vozes do passado falam:

“- Eu sou a chama que arde em cada coração humano, e no centro de cada estrela, eu sou a vida e o doador da vida,ainda que isso seja o conhecimento de mim,e o conhecimento da morte”

  Tu és agora a mulher escarlate a qual doará o sangue a taça de Babalon, uma oferenda a posterioridade.
   Kaula e o príncipe serão uma só sombra como o lótus de prazer, a perversão e a angustia do eterno sonho, a satisfação ilusória do Magista, a missa lunar do Fênix.
   Ritos a vida que geram ilusão, sangue, vampirismo e magia lunar.
   Kaula uiva aos prantos
  O fim, tomai prazer entre legiões dos vivos.
   
Hephaestos VII
Enviado por Hephaestos VII em 02/09/2006
Código do texto: T231180
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hephaestos VII
Floresta do Piauí - Piauí - Brasil, 29 anos
12 textos (742 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:42)
Hephaestos VII