Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ANJO QUE FAZIA VENTAR

Direitos autorais reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem a prévia autorização da autora


Escondidas atrás da maior nuvem do céu, existem colônias de anjos guardiões.
São anjos felizes e muito inteligentes que vivem em função de fazer um mundo feliz, onde a harmonia, a paz e o amor possam reinar.
Numa dessas colônias vive Serafim, um anjo curioso e observador. Sim, Serafim sempre foi muito curioso, observava tudo ao seu redor, principalmente o planeta Terra que seria escolhido por Deus para a criação da vida humana, das plantas e dos animais.
Certo dia, Serafim estava sentado na pontinha de uma nuvem a refletir, quando de repente ouviu gritos que ecoavam por todas as colônias e que faziam todas as nuvens estremecerem. Era o chamado do Senhor.
Serafim saiu em disparada para atender ao chamado de seu criador e criador de tudo que existia e que viria a existir de bom no mundo.
Serafim fora o primeiro a chegar ao encontro do Senhor, porque além de muito observador, ele possuía asas mais leves do que as asas dos outros anjos e facilmente chegaria onde quisesse.
O senhor avisou a todos os anjos que a Terra estava em início de sua criação e que ela ainda necessitava de muitos recursos naturais para a criação da humanidade. Falou também que cada um de seus anjos possuía uma dádiva, mas caberia a eles descobrirem essas dádivas e usá-las para fazerem o bem.
Então, Deus ordenou aos seus anjos que procurassem por seus dons e que quando os encontrassem, os utilizassem na construção do planeta.
Serafim, como todos os outros anjos, ficou tão empolgado com a idéia que logo foi procurar uma maneira de ajudar na evolução dos seres vivos.
Teve, então, a idéia de continuar observando o planeta Terra que ainda não possuía plantas, animais e nem vida humana.
Após alguns dias pensando e observando, Serafim resolveu falar com seu querido amigo: o Anjo protetor do céu e todo espevitado foi voando rapidamente ao seu encontro.
-“Uai, uai, uai“!  Reclamou o Anjo protetor do céu:
- Com essa pressa você desmancha meu penteado.
E Serafim, desculpando-se rapidamente, muito curioso, pergunta:
- Será que a vida humana da qual o Senhor tanto fala é
um anjo?
O Anjo protetor do céu logo respondeu:
- Mas é claro meu amiguinho, só que é um anjo de carne e de osso!
E Serafim, ainda em dúvida, perguntou novamente:
      - E do que será que um anjo de carne e osso precisa para viver?
- Ora bolas, talvez da mesma coisa que nós! Respondeu o anjo.
Serafim agradeceu ao amigo pelo carinho e atenção, mas mesmo assim ainda não havia descoberto o dom que precisava para atender a vontade de Deus.
- O QUE SERÁ QUE FALTA PARA EU DESCOBRIR MEU DOM? Falou Serafim com um ar de tristeza.
- Eu haverei de descobrir! Exclamou ele.
E o tempo foi passando, e Serafim procurando, procurando por seu dom. Até que um dia apareceu um sinal.
 Certa vez, alguns anjos procuraram Serafim e falaram:
- Serafim, nos ajude!
- O que aconteceu? Assustou-se Serafim.
- Será que você que possui a asa mais leve entre todas, poderia carregar todas as flores das colônias distantes e trazer para a nossa até o anoitecer?
- Acho que sim, mas por que tanta pressa?
- O Senhor ordenou que o trabalho terminasse hoje antes do anoitecer.
 Assim, Serafim esqueceu-se um pouco de procurar por seu dom e foi socorrer seus amigos.
Como num passe de mágica, todas as vezes que Serafim ia e vinha, de lá pra cá e de cá pra lá, carregando as tão mimosas flores ordenadas por Deus, as nuvens se mexiam como um  berço ao balançar.
E assim, sendo solidário aos seus amiguinhos, Serafim descobriu o seu mais lindo dom: o dom de fazer ventar. Do toque de suas leves asas que parecia sopro de uma flauta nascia a mais bela das criações divinas: O VENTO.
E como uma benção, neste mesmo instante todos os outros anjos maravilhados descobriram também as suas dádivas e juntos, todos eles, começaram a construir de acordo com a vontade de Deus todos os recursos que fariam a humanidade viver em harmonia e equilíbrio.
Neste momento ouviu-se a voz firme e suave do Senhor:
  - Se a humanidade souber aproveitar toda essa riqueza, o mundo será cheio de beleza.
   E após milhares de anos de criação do planeta Terra, ainda hoje, toda vez que você sentir um vento suave soprar-lhe aos ouvidos, lembrará, que o vento nasce do bater das asas de um anjo que, com imensa grandeza, perpetua a vontade de Deus.



Tavita Rosa
Enviado por Tavita Rosa em 17/10/2005
Código do texto: T60356
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tavita Rosa
Salvador - Bahia - Brasil, 36 anos
120 textos (12958 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:20)
Tavita Rosa