Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A FORMIGUINHA QUE NÔ GOSTAVA DE AÇUCAR

Conta “a” lenda, que no mundo das formigas, nascera um,
Uma linda   formiguinha,diferente.
O pai formigão era todo orgulho,a mãe formigueza de,
linhagem nobre;chorava e sorria,externando toda sua,
Alegria: pois tal fato entre as formigas,teria sido
inédito,em toda sua natureza.
Entre meio tantos elogios,curiosidades e comentários.
A  recém-nascida,fora ficando famosa.
Não muito mais tarde eis que surge um problema a,
Formiguinha não queria se amamentar fazia careta e
Picava o mama da mamãe formigeza,que sentia muitas dores.
Tão logo levaram –na ao doutor formiculto medico da
Família;constatou-se que,não estava doente,apenas,não
Gostava de açúcar.
Que era base do aleitamento materno.
Dr.formiculto logo retrucou em vós baixa,o que fazer?
Se não existe leite de formiga sem doce?
Enquanto isso no hospital, não se falava em outra coisa,
Só se ouvia choro e gritos de um formiguinha faminta.
Rapidamente a noticia se espalhou pelos quatro cantos.
Até que o boato chegou aos ouvidos  de uma velha formigona rabugenta,que morava sozinha nas montanhas formigalescas.
Cuja fama,é que de tão má e rancorosa, com o tempo também,
Não quis mais saber de se alimentar de coisas doces.
Só comia alimentos amargos ou sem nenhum açúcar.
Já velha e cansada no final da vida achou que poderia de alguma ,
Forma ser útil aquela pobre formiguinha faminta.
Botou seu livro de receitas amargas e sem doce nas costas,
E foi correndo para a cidade.
Ao chegar  ao hospital não fora lá muito bem recebida
Pois o povo da cidade já c0nhecia sua velha fama.
Mesmo assim ela insiste em falar com os pais dos bebes.
Mas não foi ouvida,então resolveu pernoitar pelas redondezas ,
Na esperança de que pudessem mudar de idéia.
Ela estava certa! na madrugada não se ouvia nada alem dos gritos,
E choro que ecoavam,por todo hospital.
Desesperada,a mãe manda chamar a velha senhora.
E assim a velha entrou no quarto e falou mal humorada,
Onde está esta formiguinha faminta e chorona?
Aqui! Respondeu o pai coruja meio desconfiado.
Dê-me cá esta criança seu desastrado! e pegando-a no colo
Tirou da velha sacola uma mamadeira com um liquido esverdeado.
E começou a  amamentar  a formiguinha,enquanto cantava,
Assustadoras cantigas de ninar.
E ela após esvaziar a garrafa caiu em sono profundo e tranqüilo.
O silencio voltou a reinar nas redondezas;os pais não tiveram,
Palavras para agradecer a pobre velha e acabaram dormindo,
Vencidos pelo cansaço.
No dia seguinte quando os pais acordaram,procuraram pela velha,
Senhora, mas ela não estava mais lá;toda procura fora inútil,ela desaparecera sem deixar rastros.
Apenas dois frascos,um contendo mel e o outro fel,junto ela deixou,
Apenas uma frase, nem tanto o céu nem o inferno.
De mimos não viverás! De amarguras,muito sofrerás,porem,do mel se adoça o fel que pode se transformar em mel.
Os pais sem entender a mensagem da velha senhora,resolveram pedir
Ajuda ao dr. Formiculto,que se propôs a desvendar aquela charada.
Depois de algum tempo de reflexão,concluiu;senhores pais esta não
É uma formula médica e sim de princípios morais,éticos,e cotidianos.
Aconselho-lhes a fazer o seguinte,a cada mamadeira de  suco amargo,
Acrescentar algumas gotinhas de mel, e a cada ano que se passar,
Aumenta a quantidade de mel em pequenas proporções.desta forma
Quando sua formiguinha atingir a idade adulta ela estará curada ,
Não será nem rabugenta nem mimada.
E assim fizeram os pais,ate a sua adolescência . tudo parecia muito bem até que a formiguinha começou a dar sinais de rebeldia,contrariando,tudo e a todos .
Um belo dia quando a situação parecia já não ter mais controle,eis que alguém bate a porta  daquela família desesperada.
A formiguinha rebelde correu para abrir a porta,e assustada gritou.
Mamãe papai tem uma bruxa aqui na porta ?
Então os pais correram imediatamente ate a porta e para sua surpresa logo reconheceram a velha formigona hoje bem mais velha,
Mas com semblante meigo no olhar.
Vamos entre? exclamou a mãe surpresa,com a visita.
Sente-se fique a vontade disse o pai formigão.
E então como vai a nossa menina?perguntou a velha senhora.
Há nem te conto vai de mal a pior,estamos passando um mau bocado .
Porque? não fizeram o que eu mandei ? sim! fizemos da melhor maneira possível,não sabemos o que deu errado indagaram os pais aflitos.
E simples vocês se apegaram empenas a formula e se esqueceram do
Mais importante do ensino moral espiritual e familiar,mas como?
Somos pais exemplares no colégio na escola nas ruas.
Mas falharam dentro de casa,que é de onde vem o maior  principio de todos. O da educação. Eis ai o problema, mas agora o que fazer ?
Exclamou a mãe aflita.
Respondeu ponderadamente a velha .
A vida lhes deu a oportunidade de educar o seu rebento,agora o seu rebento terá que se reeducar com ensino que a vida lhe trará mas não
Se preocupem que o tempo e o progenitor de todas as nossas vitórias,
E derrotas deixe-a seguir em frente e fiquem sempre por perto e com a certeza de que  esta história terá sem duvida  um final feliz.


Esta história e em homenagem a minha amiguinha .
Vitória baeta neves
Um abraço do tio ju.

.


juvenal bastos
Enviado por juvenal bastos em 25/08/2007
Código do texto: T622604
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
juvenal bastos
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil
543 textos (24603 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 01:30)
juvenal bastos