Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Você não é assim



Julio é uma pessoa bem sucedida na cidade; ele morava no interior e resolveu vir para a cidade; montou aquela casa de carnes da rua sete; parei no mercado dele e me  disse:- Hoje eu cheguei em casa de um amigo, o Bernardo, ele estava tão triste que parecia não ter gosto para nada; Eu perguntei:- porque está desse jeito homem? e continuei queria botá-lo para cima eu disse: - você não é assim! Verdade Orlando:- eu já estava agoniado, e agora piorou; Eu venho notando que o negócio não estava indo como eu queria que fosse;  agora Julio, o meu sócio, disse que vai colocar o cunhado dele aqui, e vai sair para cuidar de outros negócios; você sabe quem é; o cunhado dele? o Nicolau aquela mula metida a besta;  eu fiquei tão chateado que sai sem dar a resposta; eu precisava dizer  o que achei que ele merecia ouvir e não falei. depois que Julio foi embora,

Eu fui para um bar pedi um drinque comecei a beber, apareceu um amigo o Leandro dono da farmácia e me falou : - cara, o que é isto, você não tem costume de beber a esta hora do dia, algo está te apoquentando o juízo; eu respondi : -  É verdade Leandro:-eu sou dono daquela fabrica, como você sabe, ela é minha  vida; acho que ninguém tem o direito de achar que é ele quem manda ali, e este sócio que quando veio o negócio já funcionava,  ele apenas injetou o dinheiro, para aumentar o patrimônio, e com isto, ele quer mandar e desmandar como se eu fosse seu empregado.

Não importo com o que ele faz só não acho certo a forma como ele faz.
Não é desse jeito que se toca um negócio! se somos sócios, temos que combinar as coisas que devem ser feitas; ter reuniões para discutir;
Orlando   falou : - É amigo ta bravo em cara? Eu disse bota bravo nisso, mas eu vou beber esta bebida, só esta e volto para falar com ele

Orlando perguntou: - não quer falar sobre o que está te angustiando com um Advogado? Ele respondeu ou: - É justamente isto que estou querendo Quando agente se entrega a um negócio com amor, querendo vê-lo crescer, uma decepção é quase intolerável.

Cinco anos se passaram, e eu não tenho um resultado satisfatório e a minha desconfiança; continua alguém me falou que ele estava querendo me afastar do negócio, e o cunhado dele estava me traindo, procurei ter certeza se era verdade, nem dei chance para ele se defender; sua defesa a meu ver seria mais uma forma de ela me enganar.

Mas nesses cinco anos, eu só ouvi pessoas me elogiarem; acho que eles tem suas razões, eu ando por todo lado fazendo o possível para não ficar mal com ninguém! eu posso até dizer:- se o cunhado  não estava envolvida com ele; nas suas falcatruas; será que eu estava tão sego, que acreditei no que me disseram? eu notava que quando ia em casa ver meu filho, ele me vigiava quando
Eu chegava pedia desculpas por não ter avisado, ele apenas respondia : - esta casa é sua, você pode entrar e sair a hora que quiser sem perguntar, sem se desculpar, sem pedir licença; Hoje eu estava analisando:- se ele tivesse alguma participação, não ficaria tão seguro na minha presença.

Hoje faz dois meses que comecei analisar o seu comportamento, eu decidi:- vou procurá-lo; ou melhor, vou ficar até mais tarde, e vou na casa dele, para ver se ele fica nervoso;  com a minha visita a final de contas é sábado! Normalmente são os dias perfeito para se visitar alguem.

Cheguei! Agora vamos ver o que vai acontecer; os filho estão dormindo, e ele fica feliz quando chego, e me pede para ficar mais, a esposa dá força.
quando Ele me pediu para ficar e esperar um café eu vou ficar; o menino tinha dormido no meu colo, ela mandou ele levá-lo para cama, ele respondeu educadamente:- eu vou levá-lo quando o deitou na cama, ele acordou e veio me abraçou, não posso sair agora;

foi assim ela entrou para a cozinha foi no Armário está mexendo nas vasilhas; Agora vem ela com o café coloca com cuidado sobre mesa; daí umas duas horas foi que eu sai, convicto de que não tinha culpa; o cunhado deu prejuízo a ele também;   eu não peguei no somo realmente não dormi pensando porque deixei-o ir embora, eles podem estar passando  necessidade por isto; no dia seguinte fui ao Bar, e comentei com seu Zequinha uma pessoa muito gentil
O dono do bar perguntou: porque essa violência com você próprio? Eu respondo:- A eu tenho mesmo é que convidá-lo a voltar; Eu sou uma pessoa que não tenho rancor. Veja que eu fiz tudo para reconstruir o que avia se destruído a confiança de uma pessoa; É muito ruim desconfiar  de alguém, que não tem culpa.

 eu sei que depois disso eu ia conseguir ficar com ele e não me trairia; hoje fiquei sabendo que ele está muito feliz ; isso é sinal que o entendimento valeu e eu não perdi; eu encostei na pessoa e perguntei:- aquela revelação que você me fez a respeito do Nicolau era falsa?    A me perdoa! eu não tinha visto você;
É eu queria a vaga; perdoa-me eu fiz isto para ter o emprego pois eu sabia, que você não olha em mim, como se fosse capaz; eu respondi:-    eu olho, mesmo,  não vejo ninguém, porque você não é ninguém. és uma criatura desprezível.
voltei falei com ele você é uma pessoa de ouro, como não vi isto antes! tem me ajudado muito, e para evitar que eu cometa injustiça,  jamais pensarei em sociedade com quem quer que seja; chega de prejuízo.  e jamais darei ouvidos a fofocas para não ser inconseqüente. FIM
     

 
sterquini
Enviado por sterquini em 18/09/2007
Código do texto: T658400

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
sterquini
São João de Meriti - Rio de Janeiro - Brasil, 73 anos
512 textos (28519 leituras)
20 áudios (2920 audições)
3 e-livros (10 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 04:25)
sterquini

Site do Escritor