Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sete

Não vejo mais o céu. Não sinto suas nuvens e nem seus dedos em meus cabelos. Ainda estou por perto, mas não perto o bastante. Ouço as vozes dos que amei. Ouço, mas sem que eles saibam. Apenas escuto, como se estivesse ouvindo atrás da porta. Estou congelado, no entanto, o frio não é capaz de me preocupar. O que me machuca é a letargia, a paralisia e o cárcere. Sempre o mesmo aroma de grades marrons ao meu redor, sempre me protegendo, prendendo, escondendo.

Continuo amando, mesmo aqui, nesse lugar não distante o bastante para nos separar. Estou longe de você, talvez, o mais longe que alguém poderia estar. Apesar disso, você está a apenas sete palmos de mim.
Fillipe Evangelista
Enviado por Fillipe Evangelista em 29/09/2007
Reeditado em 29/09/2007
Código do texto: T673946
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fillipe Evangelista
Divinópolis - Minas Gerais - Brasil, 32 anos
76 textos (5061 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 14:59)
Fillipe Evangelista