Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Descaso

Este texto consegui resgatar de uma "composição",feita por mim em classe, tema livre, quando tinha 15 anos e cursava o primeiro cientifico, na cidade de Itajubá na querida Minas Gerais, em aula de portugues do  saudoso prof. Nélio, do Colegio Estadual Prof. João Pereira.

Alguns nascem para uma vida boa, outros nem tanto, mas para uns, como eu, não está sendo mole não.
Parece que estou reclamando de barriga cheia, aliás ela já foi bem cheia a uns tempos atrás, mas agora, fico aqui num canto, esquecida abandonada , depois de passar toda a minha vida somente servindo aos outros.
Seguinte, tudo começou em um natal; me receberam maravilhosamente na casa que fui adotada , fui festejada e já no dia seguinte brincadeiras o dia todo, até de noite me levavam a brincar.
O tempo foi passando, e a garotada ficava ansiosa me aguardando no campinho para o jogo diário entre os amigos e colegas da escola.
valia tudo e eu aceitava jogar do jeito deles, era chute pra todo lado.
A medida que ficaram mais íntimos meus, começaram a me maltratar demais, levava chutes na barriga, travadas com as travas das chuteiras e até sentavam em cima de mim.Me maltataram muito, mas fiquei sempre na minha,sem reclamar, afinal eram todos meus amigos.
Quando porém, chegou outra na turma, uma nova amiga, eu fiquei de regra três, só me colocavam a jogar se a outra não estava, descaso total.
Sabe com é, não ficamos jovens todo o tempo, enfim todos envelhecem, comigo não foi diferente, neste ponto fui colocada de lado,  ninguém mais me chama, nem me levam a nenhum lugar, fui colocada realmente pra escanteio.
Agora passado um tempo, nem me alimentam mais, estou magra, toda cheia de feridas dos embates da turma, com alguns cortes que inclusive nem mais se fecham. Ao invés dos cuidados habituais que eu merecia, ouvi outro dia que querem me jogar no lixo, será que o desprezo chegou a esse ponto?
 Me descartar como se fosse lixo?
 Depois de tantas alegrias que pude proporcionar?
Que triste fim, este meu. Só espero que na outra encarnação eu volte outra coisa, porque esta vida de bola de futebol ,uma vez  me bastou.
Lune Verg
Enviado por Lune Verg em 31/10/2007
Código do texto: T717937
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lune Verg
São Paulo - São Paulo - Brasil
55 textos (14687 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 23:17)
Lune Verg