Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Paixão a beira mar.

Como tudo tem seu começo, esta bela paixão tem inicio em uma viagem da familia de Ana ao litoral Baiano. João é bancário pai de três filhos e esposo de Carla. Decide tirar férias no mês de dezembro e viajar com toda familia para Ilhéus.

Ana não conhecia nada sobre a cultura baiana, pois viveu sua vida inteira dentro de quatro paredes, sem paz, sem diversão, apenas com suas musicas deprimidas, tristes, torpes, já virou até rotina, sem contar que ela ainda odeia estudar, tem uma dupla vida, pois não sabe diferenciar o mundo real do mundo cybernetico, ela vive apenas em frente um computador com seus programinhas inutil como messenger, blogs, flogs, e alguns jogos virtuais como second life, sem contar que odiava suas irmãs por querer o computador só para ela.

João e Carla tinha uma vida normal, para um casal de 20 anos de casados. Carla adorava ir as compras, cuidar da casa, dar atenção as filhas, mesmo que as filhas não entendessem sua forma de proteção.

Marcela e Juliana são os docinhos da familia, tem 6 anos as duas, são gemias identicas, gosta muito uma da outra e faz de tudo para prejudicar e deixar os pais chateados com Ana.

Ana gostou da ideia de ir para ilhéus apenas pois nunca viu o Mar, e o idealista de sua banda favorita sempre fazia essa apologia ao Mar, e nunca saiu de São Paulo, e tinha certo interesse, mais ja estava chateada com a ideia de ter que deixar seu computador. Fez dramas que não queria ir, que só iria se ganhasse um LapTop, pois não daria conta de ficar tanto tempo longe da sua vida virtual, mal tinha feito 16 anos onde teve uma bela festa de anirvessario para seus amigos e e ja estava precionando os pais para ganhar mais um presente, joão meio sem querer cedeu as pressões da filha e comprou um laptop dividido em milhares de parcelas.

- Carla é inutil um outro computador agora, estamos indo para uma viagem, achei que seria legal até por estar afastando Ana desse seu vicio obssesivo, compulsivo, depressivo. - Mais é bom que diminui essa concorrencia dela com as crianças e também não é tão caro assim. - Ta bom amor.......

Alguns dias de viagem, Chega toda familia, Ana se encanta com a beleza cultural, praças, as pessoas incrivelmente como ela sempre via na TV, foi para o hotel, se trancou em seu quarto, foi para o banheiro tomar um belo banho, se infureçeu por não ter ido tomar banho no Mar, mais Ela é muito persistente monta um plano para não demorar mais que algumas horas e ela estar de frente para o Mar. Ana vai para o Banheiro senta no chão, se corta, corta seus braços com sua pequena faca, sente um extase profundo, um sentimento de euforia, alegria em ver algumas gotas de sangue cair, sentia alegria na dor, se drogava.

Enquando joão tomou um banho e foi dormir, Carla e as crinaças estão no patio do hotel, correndo, brincando como se também fosse uma bela criancinha, nem ao menos imaginava o que se passava com a solitária Ana em seu aposento, sabia que sua filha tinha uma depressão cronica, mais não sabia até onde sua filha tinha chegado.

Ana dava pequenos cortes em seu pulso, bebia suas gotas de sange, cheirava cocaina, ao som de algumas musicas, melhor ao som de apenas uma musica de sua adoravel banda Legião Urbana. Ana ao usar drogas e se cortar ela sentia sair de seu corpo, viajar por lugares onde jamais imaginaria estar, mais nunca sentiu um sublime sentimento que é o Amor. Ana limpa o sangue, toma seu banho normalmente, sentindo que algo diferente estava acontecendo, não era comum se sentir assim, troca de roupa e vai jantar com a familia como se nada tivesse acontecido e sem ao menos mencionar o plano de ir ao mar sozinha em uma cidade desconhecida durante a madrugada.

-Amor vamos jantar onde?  sem esperar a mãe ao menos tentar falar Ana ja diz que quer jantar no restaurante e ir dormir, alegando que o dia foi muito cansativo, meio sem querer todos concordam.

O jantar ocorre tudo normal, exeto pelo falo de João ver Ana com uma carteira de cigarros, ele sabia que ana fumava, melhor todos sabia que ela era fumante mais preferiam não demosntrar, ela fica meio constrangida mais o pai fala que isso é normal e que ele ja sabia. Após o jantar ficam conversando um pouco com a familia e da um jeito de escapar, falando que estava com muito sono. Estaria prestes a por seu plano em pratica. Ficou mais alguns mitutos com sua familia e foi para seu quarto. Senhor João e Carla continuaram com as crianças, colocaram elas para dormir e foram se deitar, Fizeram amor e esqueceram das crianças, após esse louco amor eles apenas dormiram abraçados como se nada tivesse aconteçendo. Nem imaginava o que se passava na mente de Ana e seus planos para aquela noite.

Ana foi para seu quarto apenas nas possibilidades de executar seu plano, chegando no quarto "cherou" mais um pouco, deitou e passou alguns minutos, ja sentia poucos efeitos da cocaina, pois seu organismo ja estava se acostumando com a substancia e tinha que usar em grande quantidade, mais ela sabia que era um vicio caro então ficava alguns dias sem usar a droga para seu organismo não se adaptar a Droga. Pois esse sentimento de euforia, alegria ela só sentia com a cocaina, e era a melhor sensação que sentirá em toda sua vida. Fica vendo alguns filmes pornograficos até dar tempo de seus pais dormirem, para ninguem perceber o que pretende fazer. Ana coloca em sua bolsa, algumas roupas de banho, sua inseparavel camera digital, seu mp4 e sem contar um pouco de cocaina que ainda restava. colocou tudo na bolsa e foi em busca do sonhado plano.

Saiu sem que ninguem precebesse do hotel, fico conversando com alguns amigos que conheceu durante o dia na cidade, Ana não sabia direito onde estava então pediu informações sobre alguma praia bonita e solitaria e como poderia chegar lá, falando com recepcionista do hotel decide ir para Praia Boca da Barra, por não ser da cidade e a praia ser próxima ao centro da cidade, pois o hotél é no centro. Pega algumas informações e parte rumo a praia e o estranho desejo de conhecer o mar, Ana nunca tinha se sentido de tal maneira e nem sabia por que estaria se comportando desta maneira, mesmo assim saiu com esse desejo compulsivo, pego um taxi e dentro de poucos minutos Olha para o Mar e ver a primeira Onda de sua vida, quando avista o mar Ana ja pede para o motorista para pois quer viver intensamente esse momento único de sua vida. Desçe do carro rapidamente, pego suas coisas e parou, Seu mundo parou, mal conseguia respirar, seu coração disparou, era a melhor sensação que sentiu em toda sua breve existencia, correu, largou tudo na areia, estava sozinha, melhor quase sozinha pois estava do tão sonhado mar, se sentou na areia e colocou-se a cantar uma musica que sempre gostava de cantar quando estava triste e lembrava do canalha de seu ex-namorado, uma musica chamada "vento no Litoral" era melhor musica que ja ouviu em toda sua vida, mais a alguns meses desde o termino do seu ultimo namoro, ana não gostava de lembrar da musica devido seu lado afetivo ainda esta abalado. Como se fosse seu inconsiente começou a cantar a adoravel musica, sentiu suas pernas flutuar, e caiu de joelho, era o "Ser" mais lindo, maravilhoso que contemplou, belo, logo veio a lembrança dos amigos deixados em São Paulo, queria muito compartilhar esse sentimeno com todos.

Ana se sentiu com se tivesse com um namorado, estava carente, triste, e ao ver o mar sentiu uma alegria enorme, se despiu em plena madruada, ficando apenas com seu biquine, e tendo a lua com um sol, ela não sentia frio muito menos se importaria se alguem pudese passar e ve-la naquele momento, pois era um momento unico em sua vida. queria aproveitar o maximo possivel, ela foi caminhando lentamente rumo ao até então intocavel mar, abriu os braços de vagar e se entregou ao vento, apenas aos olhos do luar, Ana o Céu e o Mar, em um momeno unico, que mudou o rumo, mudou a história de Ana, ela não sabia como mais aquele momento afetou sua vida em uma maneira, viveu aquele momento inesquecivel, mais para ela a droga era inesquecivel, e se ela sem ter inalado nem uma substancia naquele momento estava tão euforica, teve a ideia de "cheirar" um pouco e continuar a viver este momento sublime de sua vida, mas tudo que é bom dura pouco, pois apos ter feito isso se sentiu uma derrrotada, fracassada, inutil, ela não era capaz de dominar um vicio como seria capaz de dominar a propria vida? Mesmo como estava, usou sua roupa para forrar um lugar na praia pois queria contemplar o nascer do sol, e tentar esquecer a tristesa que sentiu minutos atrás, se adormeceu por alguns minutos e viu que o dia estava prestes a começar e queria contemplar a beleza do lugar com seu "Novo e amado Mar", poucos minutos se passaram e la estava o sol, veio na manha brilhar com uma intensidade bem maior do que Ana costumava ver em São Paulo, "nunca pensei em admirar as belezas das simples coisas como um nascer do sol, um por-do-sol também não, se arrependeu ter ficado tanto tempo de sua vida sem ao menos pensar em algum dia ver o mar" sentiu-se como se o tempo vivido até o presente momento foi em vão, percebeu que perdera seu tempo com coisas que não trouxe uma alegria como esta, e alem de tudo perdendo seu tempo perdendo sua vida, pois era usuaria de drogas desde seus 13 anos.

Ana viu que ja estava na hora de voltar para o hotel pois seus pais não gostariam de saber o que ela teria feito e mesmo sabendo que não fez nada de errado eles não compreenderiam, o Sol apenas estava anunciando que ele anoite seria uma bela lua para poder iluminar Ana o Céu e Mar, e o mar em tristeza por Ana estar partindo veio uma onda mais forte, era ele se despidindo, ela chorou ao partir pois foi o momento que mais marcou sua vida, melhor, marcou com momentos bons, pois momentos mals, de depressão, de solidão, momentos tristes em fim foi a maior parte de sua vida. Ela prefere não comentar alguns fatos de sua vida, pois se sente contrangida, seus segredos estão guardados entre seu diário e apenas um amigo de confiança chamado Gabriel, isso é história para os dois conversarem quando voltasse de viajem, melhor quando chegasse ao hotel, pois enviaria um email imediatamente descrevendo os fatos e sentimentos que ocorrera nesta noite.

Chegando no hotel pela manha, caiu na cama e dormiu ate um pouco mais tarde, quando acordou não viu a hora de conectar a internet para contar sua aventura para gabriel, melhor como Consegui ficar todo esse tempo foda da internet, do meu mundo, de minha vida, pois na vida real não tenho amigos, tenho pessoas com a qual eu entro em contato em meu dia a dia pois amigos nao, tenho apenas uma amigo, Gabriel. Gabriel tem 15 anos, conheço ele tem aproximadamente uns 8 anos, pois eramos crianças ainda quando iamos juntos para igreja com nossa familia, mais esse não era nosso mundo, viviamos obrigados, predestinados a sse futuro infeliz, sendo obrigados a ir para igreja, isso mesmo só ir a igreja pois não vejo logica em ficar perdendo meu tempo sentada em um banco ouvindo pesoas, sempre gostava do proibido, coloca chiclete no bancos, muita armação. Pois fazer o que é proibido sempre aumenta a espectativa e adrenalina, desde então temos um grau de amizade muito grande. Ele estuda comigo, melhor somos matriculados na mesma escola, pois quase nunca vamos ao colegio, pois ficamos o tempo todo na praça central "cherando" e "fumando um beack", ou seja sempre fomos amigos e inciamos juntos nessa nossa vida, vida que levamos hoje, uma bela vida.

De: Ana
Para: Gabriel

Hey, e ai, como você ta Biel, nossa fiquei um dia sem falar com você, um dia inteiro sem entrar na net da para acreditar!! o que eu vou te contar aqui aconteceu comigo depois que chegei aqui em ilheus e eu nem sei se sou eu mesma, foi algo de estranho não sei como explicar, você sabe da minha compulsão pelo mar, mais tipo não sabia que iria me marcar tanto assim, tive um sensação de estar com alguem do meu lado, mais eu estava sozinha, porque durante o dia não deu para ir pois não conhecia nada da cidade e estava com meus pais, mais como sabe quando quero uma coisa eu vou atraz.. fugi do hotel durante a madrugada e fui ver o mar, tive uma sensação que nunca tive antes, nem o "pó" me deixou como estava naquela praia, senti algo me completando por dentro, algo dentro de mim. Foi muito estranho mais tambem foi muito bom, queria que você estivesse aqui, pois é muito louca essa sensação ainda mais com a mistura com o "pó" o ruim que depois fiquei meio deprimida... vou dormir agora pois acabei de chegar do Mar, essa noite quero ir para lá novamente.

De manhã seus pais acordam, tomam um belo banho onde comentam sobre a cidade, o locais históricos, as belas praias, locais que desejam ir.

Enquanto Ana, dorme, sonha, alucina, viaja em lugares desconhecidos, sonhava com um mundo diferente, onde não tinha dor, tudo era permitido. Sonhou uma esperança quer não existe, mundo sem dor, sentiu na pele as dores do mundo. Achou bom quando acordou e viu que era apenas um sonho.

Durante a manhãvisitaram locais históricos, e foi a familia toda reunida para praia.

Chegando na beira da praia, Ana ficou de biquini, veio de manhã molhar os pés na primeira onde, abriu os braços de vagar e se entregou ao vento, o Sol falou para Ela que durante a noite ele foi a lua, que iluminou o inicio deste grande amor, entre Ana e o Mar.

Passaram alguns dias, toda familia parte de volta pra São Paulo, ouvindo a musica ...."estamos indo de volta pra casa...", comentando os feitos na viagem, Ana reclamou que apenas um final de semana foi muito pouco, se dando uma de coitadinha. - só poruqe eu estava gostando da viajem ai todo mundo quer vir embora, todo o mundo gira contra mim, não sou ninguem, ninguem me quer, eu sou nada.

Já que não sou nada, minha história sempre vai ser de tristeza e dor, até meus dias se acabar.

Não sabendo que ia ser assim mesmo, sua vida não saiu da rotina e Ana vive no interior de São Paulo, casou e lembra sorrindo desta bela viajem em que se apaixonou pelo imenso mar.
Renato D Oliveira
Enviado por Renato D Oliveira em 14/11/2007
Reeditado em 10/11/2008
Código do texto: T736991
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Renato Dieckson). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre o autor
Renato D Oliveira
Gurupi - Tocantins - Brasil
2228 textos (188353 leituras)
2 áudios (432 audições)
2 e-livros (204 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 13:46)
Renato D Oliveira