Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O menino tristonho do quadro e a menina do olho de vidro

-Você não jogou este quadro fora? – Disse a esposa raivosa.
-Eu não sei o que acontece! – Respondeu o marido surpreso. – Eu jogo-o fora, mas parece que ele sempre volta pro mesmo lugar...
-Ah não tenho tempo! – Interrompeu a esposa. Estou indo para minha viagem, beijos!

Ela pegou o carro e foi embora, o marido ficou olhando para o quadro do menino tristonho, pensando:

-Como ele havia voltado para a parede? -Mas acabou deixando pra lá.

Deitou-se no sofá e cochilou o resto da tarde, subitamente acordou com um trovão vindo da tempestade de verão que caía, assustado, deu de cara com o menino tristonho que soluçava a sua frente, dando-lhe grande pavor.

Chacoalhou a cabeça, olhou novamente e não havia nada, o quadro estava lá na parede, nada de anormal, sentiu um alivio, deu uma gargalhada e foi até a cozinha tomar um copo da água.

Ainda um pouco ressabiado, se aproximou do quadro, pois pretendia jogá-lo fora de uma vez por todas, mas num rápido olhar pela janela, viu uma coisa inacreditável:

Uma menina brincando naquela chuva torrencial, então abriu a porta e gritou:

-Hei menina, venha para cá!

Ela se aproximou e o olhou, um de seus olhos era de vidro, foi alegremente para dentro da casa, ele achou estranho e sentiu um arrepio na espinha macabro e perguntou intrigado:

-O que aconteceu com o seu olho?
-Nada! – Respondeu com voz angelical.
-Você quer alguma coisa? – Ele perguntou sentindo compaixão da menina, pois pensava que alguém havia lhe feito alguma maldade.
-Sim! – Respondeu envergonhada a menina. – Queria brincar de bolhas de sabão!
-Está bem! – Ele deu um sorriso pra ela.

Foi até a cozinha e trouxe um copo com água, sabão e um canudinho, ela começou a brincadeira, fazendo muitíssimas bolhas de sabão, o homem ficou encantado, parecia que uma música suave tocava no ar.

Ele virou-se para pegar mais água e sabão, porém tomou o maior susto de sua vida, o menino tristonho estava por detrás, chorando e soluçando, com uma foice na mão, e num rápido movimento cortou as pernas do homem.

Aquele homem ficou várias horas sangrando, até que suas pernas gangrenaram, nessas horas todas, ficou sempre observado pela menina do olho de vidro fazendo bolhas de sabão e do menino tristonho chorando sem parar.

Até que não resistiu e morreu, então o menino tristonho que não continha seu choro, perguntou a menina:

-Para aonde iremos agora?
-Para aonde tiver um quadro seu!

E os dois saíram de mãos dadas, já no final da madrugada, entre bolhas de sabão e choros, indo para a próxima casa, para a próxima vitima...

Amadeu Paes
http://amadeupaes.blogspot.com
AJ Paes
Enviado por AJ Paes em 18/11/2009
Reeditado em 02/12/2009
Código do texto: T1929952

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
AJ Paes
Santo André - São Paulo - Brasil, 39 anos
88 textos (4923 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/14 09:02)
AJ Paes



Rádio Poética