Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Instinto animal


A chuva caia fina agora,fina continua e vermelha.As pessoas olhavam aterrorizadas,chocadas e até maravilhadas mas para Seelena nunca seria bom.
Aquilo era sangue mesmo que os cientistas não conseguissem decifrar sua origem,nem seu tipo.Era chamado de “o milagre do século” pelos jornais mas para Seelena nunca seria.
Aquilo era sangue e sangue nunca era bom.Não foi bom quando seu irmão foi baleado e morreu na rua antes da ambulância.Também não fora bom quando ela própria sofrera rejeição após uma transfusão de emergência.Não,aquele sangue não era bom,nunca seria.Mas os médicos o achavam bom,um verdadeiro milagre.Algo que acabara de vez com as rejeições,que fazia fecharem as feridas,que curava as doenças ao ser colocado nas veias do paciente.
Para Seelena aquilo continuava sendo sangue...Sangue que caia do céu,algo desconhecido que devia ser evitado.A chamavam de louca,sim de louca por não aceitar aquela dádiva.
Foi então que tudo começou a acontece de verdade.As pessoas que tinham aquele sangue nas veias,ou as que tiveram contato com ele começaram a adoecer.Febre,dores,sensação de queimar nas veias.Então vieram os vômitos,as pessoas não conseguiam comer,não conseguiam dormir e vomitavam o próprio sangue.Os sintomas variavam e se tornavam piores a cada instante.
No hospital Seelena viu as pessoas piorarem,anotou alguns sintomas,então viu o primeiro dos monstros.O paciente do quarto 66 tivera febre o dia todos,ele não vomitava o sangue mas bolhas tinham nascido nas costas dele.A noite tudo piorou,os olhos reviravam nas órbitas e a pele começou a descolar.Uma pele escura a substituiu,ossos começaram a nascer nas costas,os ossos viraram asas e nada mais pode ser feito por ele.
Os infectados adquiriam um estranho gosto pelo canibalismo e suas formas eram as mais variadas,desde os voadores,os com garras e os que viviam na água.
Então Seelena invadiu o hospital,seu cabelo negro caia no rosto,seus olhos estavam totalmente brancos e ela trazia muitas armas.Destruiu a maioria das criaturas,ao sair do hospital seus lábios estavam roxos,a pele muito branca onde apareciam algumas veias também roxas,suas pupilas não mais apareceram.
Quando olhou para as ruas cheias de criaturas ela apenas murmurou.
- Me chamam de louca mas eu era a única que sabia...Porque o que eu achei que nunca iria sair...Agora quer se libertar...
Seelena continuou matando,talvez a atitude mais sã a se tomar.Mas ela já não podia ser diferenciada dos outros apenas fora infectada a mais tempo...
Hell
Enviado por Hell em 19/07/2006
Código do texto: T197160

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hell
Maringá - Paraná - Brasil, 26 anos
149 textos (36154 leituras)
1 áudios (287 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 15:47)
Hell