Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Cemitério Amaldiçoado Por Deus

             O CEMITÉRIO AMALDIÇOADO POR DEUS


    Jóia fugia desesperadamente da tentativa de estupro .Ela conseguiu se livrar por um tempo do estuprador ,que agora saía com mais fome em busca de sua vitima.
    Jóia corria pelo mato na calada da noite e naum olhava pra trás.Ela sai do mato e vê um extenso muro e um buraco ou uma passagem para o outro lado.
 A mulher estava entrando quando pisa em uma possa de (de sangue?)de cera derretida de velas que estavam do lado de dentro.Era apenas uma macumba.Mas sem pensar ela entra.Queria fugir de qualquer maneira, e se dá conta de que esta em um cemitério.
 Estava ali para fugir de um monstro e este não era ç melhor lugar para isso.Aquilo era medonho , o cemitério era assombrado,ela não sabia, mas já estava muito mais amedrontada.
 Ela se esconde em meio aos túmulos,escutava os gritos do estuprador:"querida eu vou te pegar", ele penetrou no cemitério tambem.
 Eles não estavam sozinhos, aquele cemitério era realmente
amaldiçoado por Deus.
 Ela tremia e não sabia o que era pior: morrer estuprada ou ter um ataque de nervos sofrendo de medo dentro deste tenebroso lugar fúnebre.
 Jóia estava com a sensação de estar sentindo todo o cheiro de carne humana fresca e  o insano cheiro de ccarne humana podre que exalava daqueles túmulos que em sua maioria possuíam esculturas que causavam um terror apavorante.Elas pareciam estar alo para espantar qualquer pessoa...pareciam que estavam afugentando...ou avisando.
 Este lugar demoníacoservia de "palco" para todo o tipo de profanação: era comum acontecer estupros, assassinatos,macumbas,rituais para matança de pessoas e animais,adoração ao diabo,seitas que acordam os mortos,violação de tumbas...Além de ser um luger onde o sobrenatural se manifesta.
 Um forte vento começou a soprar e Jóia ficava cada vez mais assombrada com o cemitério que por instantes se esqueceu de que estava sendo perseguida por um maníaco.
 Em meio a poeira que a cercava ela viu em espiríto maligno que vinha em sua direção para matá-la.
 Ela se esconde atrás de uma sepultura e vê que o espírito  que a perseguia era era apenas o maníaco.Este que a perdeu de vista e seguiu por outro caminho na quase total escuridão que só era iluminada pela luz da lua cheia.
 O vento havia parado,agora apenas se ouvia um zumbido muito macabro que era trazido por uma brisa.
 Jóia escuta um grito do maníaco que ecoou por todo o cemitério.Suas pernas não aguentaram ao ouvir aquele grito indicando dor , sofrimento e morte...
 Lágrimas de desespero rolavam, ela rezava.Orações que ela nunca havia feito com tanta fé.Suas preces foi interrompida por um zumbido mais forte e agudo enchendo-a de mais e mais medo.
 Ela fecha os olhos com força(como a vóvó ensinou quando se tem medo na infância),mas ela imagina o diabo diante dos seus olhos.
 Novamente sente o cheiro de carne podre e sussurra "NÂO,NÂO", como se soubesse o que ia ver.
 Ela vê o corpo nu de uma mulher, apodrecido,cheio de vermes.Seus olhos se arregalaram.
Ela levanta devagar e vai se virando devagar.De repente ela sente a mão gélida  da morta apertando com violência a sua perna, as unhas do cadáver penetraram profundamenete na sua carne.
 Então ela grita: "Deus me tire desse pesadelo", mas nada aconteceu e aquilo não era um simples pesadelo, era tudo real.
 Jóia puxa com força a perna, mas aquela mão podre fica grudada em sua panturrilha.Ela olha para trás ,contrariando a si mesma, e fita o rosto da morta que parecia viva.A morta abre os olhos, verdes por causa da podridão.
  Jóia percebeu que a boca decomposta da morta filha da puta se mexia,mas não saía som algum.Até Jóia ler os lábios dela: "Nós vamos nos jubtar em breve querida".
 Ela sai correndo e aquele vento hediondo começa a arrebatá-la mexendo ainda mais com os seus nervos.
 Jóia parou em uma cúpula.Um espaço circular no meio do cemitério.Ela parou bem no meio e começou a rodar em torno de si mesma, sempre achando que tinha alguém atrás dela.
 Ela olhou o chão e viu que estava iluminado pela lua cheia, ela se sente mais calma.Ela tira os olhos da lua e abaixa a cabeça e de relance pareceu ver um corpo, um corpo completamente deformado.
 Ela olha de novo na direção de onde viu o cadáver, mas não havia nada.
 Ela gira de novo e ,360 graus, esperando não ver nada, mas quando completa o círculo lá eatavam todos eles, rodeando-a, todos querendo-a.Ela não tinha mais saída, pois o círculo estava literalmente fechado.
 Jóia ainda vê aquilo que seria o espírito ou o zumbi(como queira), do homem que ia estrupá-la,estripado, segurando as tripas com a mão e a cabeça completamenete voltada para trás, toda coberta com cera de vela vermelha ou sangue.
 Todos queriam agarrá-la.Eles se aproximavam lentamente ,cercando-a, ela não tinha saída;não tinhas como escapar de um lugar amaldiçoado por Deus.
 Eles se aproximavam mais e mais.jóia sentia o cheiro aspero de sangue.E um esgar involuntário tomou conta de sua facequando ficou cara-a-cara com uma daquelas coisas.Tinha pouco tempo para pensar.
 Pensou que talvez seria melhor morre estuprada do que de uma maneira tão horrível.
 Jóia também pensou que logo seria tão perversa quanto eles.Aterrorizando a vida do primeiro e de muitos que ousarem mencionar em um cemitério,pois ela estaria entre eles.
 O círculo se fexou para o meio, ela desencarnou e o ciclo tomou o rumo suposto pela carne.E sua alma se encontra no CEMITÉRIO...
   esperando por alguém....
...assim como você.
 
lord edu
Enviado por lord edu em 12/09/2006
Código do texto: T238349
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
lord edu
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 28 anos
65 textos (4619 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 06:00)
lord edu