Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tarde demais

Quando ele chegou ela ja estava lá,como um raio de sol no inverno,ela sorria visivelmente nervosa,as mãos fechadas na barra da saia vermelha.Ele passou a mão pelo cabelo dela fazendo suspirar.Nem um beijo,ele ainda não estava pronto para dar esse passo..
Começava a escurecer,horario perfeito para o inicio do ritual.Estendendo uma toalha branca na grama ela deitou,ele ajoelhou ao seu lado com o livro aberto na frente.Deu um sorriso pra encoraja-la.Com calma ele foi desenhando os simbolos um por um no corpo dela que se mantinha seria até que ele chegasse na barriga.
- Ai...Eu tenho cocega...Ok,ok,eu vou ficar seria...Prometo..- A expressão dela o fez querer beijá-la,mas tinha que se concentrar.Logo teria tempo pra ela,logo que o ritual desse certo e ele tivesse o poder,então teria todo o tempo do mundo.
Ela lhe ensinara o latim nescessario para dizer as palavras ritualisticas.O aramaico ela mesmo escrevera nas palmas das mãos e nos tornozelos.
- Você quer mesmo continuar? - Ele perguntou olhando-a nos olhos.
- Sim...Por você eu vou até no inferno...- Ela passou a mão no rosto dele,dando assim começo ao ritual.
A cada palavra que ele dizia ela tinha leves arrepios,que logo lhe gelaram o corpo,mas ela não disse nada.Cada simbolo marcado começou a pingar sangue,a toalha se tornava vermelha.Ela continuava parada,sem sequer demonstrar dor.
Quando a cor se esvaiu de seu rosto e os labios ficaram tremulos ela apertou as mãos encravando as unhas nas palmas.Ele ficou com medo,parou de falar,tentou tocá-la mas foi impedido por uma especie de barreira.Ele a ouviu dizer.
- Acho que está dando certo...
- Não,não está!Você está morrendo não entende?Levante!Saia dai! - Ele ja estava desesperado,ela estava perdendo muito sangue,não restava muito tempo.
Ela deu um sorriso cansado,suas mãos relaxaram.
- Luis...Morrer nem é tão ruim...
- Mas você não pode morrer!Não!Levante!Saia dai,por favor,eu não posso te perder... - Ele esmurrava a barreira.
- Está tão frio...Eu estou com tanto sono... - Ela começou a fechar os olhos.
-Não!Abra os olhos!Fale!Me xingue se quiser,mas fale!Você não pode morrer...Eu preciso de você...Eu amo você...- Ele não percebia que a barreira ficava quente lhe queimando as mãos.Era tarde,ela fechara os olhos pela ultima vez,sem ouvir uma palavra da declaração dele.Seu corpo ensanguentado se encheu de luz.O chão tremeu,começou a chover,o ar ficou frio e pesado,a grama começou a afundar levando o corpo dela.Ele continuava ajoelhado deixando as mãos queimarem,encherem de bolhas naquela barreira quente.Num ataque de raiva ele começou a rasgar o livro.
- Livro maldito!Ideia idiota!Eu me odeio!
- Ah Luis,você é patetico...-Disse uma voz atras dele.
- Quem é você?- Disse Luis divisando uma criatura feita de sangue.
- Quem você invocou...
- Você a matou seu filho da p... - Disse Luis com odio.
- Não,você a matou...Foi o preço,agora você tem o poder nescessario...Satisfeito? - Disse o demonio.
Os olhos de Luis se encheram de fogo,com qual ele destruiu a criatura.Seu corpo se encheu de dor ao fazer aquilo mas pouco importava.Queimando todo o gramado,ele falou palavras que não conheciam,logo um buraco chamejante se abriu no chão...Ele pulou dentro,iria ao inferno encontrá-la...
Hell
Enviado por Hell em 12/11/2006
Reeditado em 15/11/2006
Código do texto: T288995

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hell
Maringá - Paraná - Brasil, 26 anos
149 textos (36163 leituras)
1 áudios (287 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:19)
Hell