Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Terror na mansão

Se aproximava o natal e os membros da I.S. retornavam a mansão,cada qual trazendo um prisioneiro para ser torturado durante as festas,era algo inédito e excitante.
Ouvindo o barulho conhecido do carro Hell foi receber Linx na porta,ele trazia um homem que estava acordado,Linx o trazia por uma especie de coleira.Ele vinha de cabeça baixa mas ao passar pelas portas de vidro olhou ao redor então Hell pode vê-lo.Era um homem de grandes olhos amarelos e sarcasticos que,ao contrário dos outros prisioneiros da I.S. não protestava,seus olhos se fixaram nos de Hell e ele lambeu os lábios,Linx o empurrou em direção a camara de contenção, pela primeira vez ela sentiu medo de uma das presas...Teve pesadelos o resto da noite.
                                            ***
Hell abriu os olhos lentamente,estava frio e a vontade dela era ficar deitada eternamente."Nada é perfeito" foi seu pensamento enquanto levantava e se dirigia ao banheiro,as roupas ficaram pelo caminho.A água quente correu por seu corpo relaxando-a,o banho foi rápido mas durou o suficiente para embassar o espelho.
Hell fechou os olhos ainda com sono mas ao voltar a abri-los viu uma sombra passar por trás de si.Ela tateou embaixo da pia pegando a pistola,revistou o quarto todo,nada.Voltou ao banheiro.
- Estou ficando paranoica que nem o Lin... - Ela não terminou a frase ao ver o chuveiro ligado.Com a arma na mão caminhou calmamente até lá,abriu a porta embassada do box,apontou a arma,não viu ninguém.Ouviu passos atrás de si e virou pronta para atirar,tarde demais,a mão forte a empurrou para debaixo do chuveiro.Os olhos grandes e amarelos se fixaram nos seus enquanto tentava afogá-la,ela atirou...Os gritos puderam ser ouvidos em toda a mansão...
                                           ***
Henry correu até o quarto de Hell,ele estava quase no final do corredor quando perdeu o chão,caiu vendo o fino fio tensionado coberto de sangue,seus tornozelos ardiam,uma poça de sangue começou a se formar.Ouviu gente correndo até ele,sacou a arma,três pessoa pularam sobre ele.Os tiros ecoaram...
                                       ***
Celly olhava o quarto em desordem,gotas de sangue aqui e ali,capsulas de balas,um punhal abandonado.Sim,Hell não fora sem lutar.
- Eles a drogaram. - Linx falou com um ar sério.
- Como sabe? - Perguntou Celly.
- Eu sinto o cheiro da droga no ar,isso foi muito primario,nada planejado. - Ele disse recolhendo do chão o colar que dera a Hell antes de viajar. - Filhos da puta...São os prisioneiros Celly,são eles.Chama o Paulo,o Henry e o Roger,preciso dos fundadores reunidos o mais rapido.
- Temos um problema,o Henry também sumiu. - Disse Roger da porta.
                                                 ***
Hell sentia seu corpo dormente,voltava lentamente de seu estado de torpor.Sentiu as paredes ao seu redor muito proximas.Uma falta de ar tomou seu corpo,desespero.Ela esmurrou as paredes,sufocada,as lágrimas correram por seu rosto,haviam pregos nas paredes.
- Socorro!Alguém!Socorro!Linx!
A agonia a dominava,o ar estava acabando,as mãos estavam destruidas,o sangue escorria junto com pedaços de pele e carne.
- Linx!Celly!Socorro!Por favor!
Sua cabeça doeu e ficou leve,era o fim,não conseguia respirar...Adeus.
                                                  ***
Paulo estava lendo na cozinha,quando sentiu o fio ser passado em seu pescoço.Pegou nas duas extremidades jogando o agressor no chão,era um homem negro,forte e parecia confuso.Paulo calmamente se apoiou na bancada abrindo uma gaveta discretamente.O homem voltou a atacar,Paulo lhe cravou um cutelo no ombro,o homem,dilacerado cambaleou para trás,tocou o cabo do cutelo.
- Não faça isso. - Disse Paulo com ar grave.
O homem arrancou a faca do ombro,o sangue  espirrou e jorrou fazendo-o cair no chão desmaiado.Paulo pegou o cutelo reduzindo o homem a pedaços.Saiu andando pelos corredores.
                                            ***
Roger tinha levou Linx e Celly ao local onde Henry tinha sumido,o fio ainda estava estendido,o sangue se espalhara mais ainda.
- Estão usando nosso material contra nós. - Disse Celly passando o dedo no fio. - Pobre Henry...Você acha que?
- Não sei,eu não sei... - Linx crispou as mãos olhando para o sangue.
                                                 ***
Henry acordou com uma dor que ia do pulso até o ombro direito.Viu dois homens e uma mulher parados ao seu redor.
- Vocês são muito prepotentes...Acharam mesmo que iriamos morrer como cordeiros? - Falou o homem loiro de olhos amarelos. - Foi tão fácil pegar vocês...E ainda se acham profissionais.
- Todos tem um assassino interior não é o lema de vocês? - Falou o outro homem,mais velho e ruivo.
- Foi assim que pegaram a Hell?Matando-a de tédio...Olha,está funcionando. - Henry riu.
- Você quer dor?Eu vou te dar dor,assim como dei a sua amiguinha loira... - Falou a mulher de olhos frios e cabelos escuros enfiando uma faca de serra no ombro de Henry,forçando-a e logo depois arrancando-a tirando carne e sangue.Henry nem demonstrou dor.Só que aquilo era só o começo...
                                           ***
Luiz ouviu fracas batidas no corredor por onde passava.Desconfiado ele foi abrindo todas as porta,na ultima ele ja achava que tinha ouvido coisas.
- Essa é uma casa velha Luiz Poleto,as coisas estalam se mais nem me...Ai meu deus! - Ele tinha aberto a ultima porta desleixadamente e quase morreu de susto,Hell caiu,ele a amparou.Ela estava palida,fria e seu vestido estava coberto de sangue.Luiz a pegou no colo e correu só esperando que ainda desse tempo...
                                                ***
Celly se afastou por momentos,investigando o quarto de Henry.Tudo estava revirado,algusn livros e armas haviam sumido.Celly se debruçou na cama para analisar uma mancha de sangue.Seu pé direito foi puxado com força e ela caiu na cama.Por instinto ele segurou algo no ar,ao abrir os olhos viu que era um pulso,viu tambem o bisturi a centimetros de seu rosto.A mulher ruiva,ferida no ombro e de olhar insano tentava enfiar o objeto na testa de Celly a todo custo.
Celly a jogou longe levantando da cama,a mulher voltou a atacar,Celly a desarmou jogando o bituri pela janela.Amulher não desistiu,voltou a atacar,dessa vez a socos que eram fortissimos,Celly revidou com chutes que a mantinham longe.A mulher pegou uma espada que estava cravada na parede e correu em direção a Celly.
O sangue voou,a mulher caiu no chão com um tiro na cabeça.Paulo estava parado na porta com uma arma na mão.
- Tudo bem? - Ele perguntou.
Celly sorriu o acompanhando.
                                          ***
Luiz aplicava medicamentos em Hell enquanto esperava a transfusão de sangue se concluir.Ele enfaixara as mãos quase destruidas dela,arrancara os pregos ainda cravados em seu corpo...Ela tinha que reagir.Nada,ela permanecia sem reação.Luiz começava a se desesperar quando algo lhe bateu na cabeça então vieram series de socos e chutes.Luiz tentou lutar mas o homem tinha o dobro do seu tamanho.Luiz pegou uma furadeira usada em necropsias,perfurou uma das mãos do homem.Assutado o homem gritou,segurou a mão,voltou a atacar,Luiz lhe meteu a furadeira no pulso dessa vez,o sangue jorrou,o homem não desistiu e se lançou em cima de Luiz,dessa vez foi certeiro,a furadeira penetrou na cabeça do homem com um barulho surdo.Luiz tirou aquele corpo de cima de si.Foi até Hell,tocou seu rosto gelado.
- Você vai ficar bem... - Mal tinha acabado de dizer quando outro homem o pegou pelo pescoço e o jogou na camara fria trancando a porta por fora,eram gêmeos.Luiz não podia fazer nada a não ser sentir frio e assistir pela pequena janela o homem se aproximar de Hell que continuava imovel.
O homem a pegou pelo pescoço aproximando o rosto do dela,lentamente ele começou a lhe apertar o pescoço,ela continuava fria e inerte.
Ele estava prestes a destroçar aquele pescoço quando ouviu o barulho de serra eletrica.Hell abriu os olhos de súbito,assustado ele recuou então sentiu a dor.Ela lhe enfiava a serra no estômago.Ele a largou,ela enterrou a serra ainda mais fundo antes de desliga-la,levantou da mesa da enfermaria arrancando as agulhas de seu corpo.Foi até a camara fria abrindo a porta.
- Você achou mesmo que eu estava morta? - Perguntou a Luiz.
                                        ***
Linx e Roger seguiam as gotas de sangue que levavam a sala de "operações" 3,os corredores estavam todos escuros.De subito Linx parou.
- Olhe... - Ele tocou um fio cortante e semi transparente estendido na altura de seus olhos. - Acenda seu celular e tome cuidado.
Eles iam desviando dos fios estendidos,evitando encostar em qualquer um.Ao chegarem no meio Linx avisou.
- Esse estão ligados a sinos...Mais cuidado.
Estava cada vez mais dificil desviar,os fios estavam muito juntos,em certo momento Linx acabou encostando em um.O som foi suave mas o suficiente para alertar os tres torturadores na sala de operações.
                                      ***
Hell e Luiz estavam saindo da enfermaria quando Paulo e Celly apareceram.Celly abraçou Hell que retribuiu fazendo caretas por causa das dores no corpo.Celly se afastou olhando as mãos enfaixadas da amiga.Depois de um tempo eles falavam sobre Henry.
- Só há um caminho pra a sala 3. - Disse Celly.
- Não,há dois,mas a porta de um está selada a muito tempo,é madeira forte e grossa,impossivel de romper. - Disse Paulo.
- Será? - Disse Hell com um brilho nos olhos.
Foram até o quarto dela pegar armas e munições.Se dirigiram a sala 3.
                                         ***
Linx passou pelos fios não ligando para os cortes e arranhões.Logo surgiram os três prisioneiros.Roger também ja tinha se desvencilhado dos fios.O homem de olhos amarelos atacou Linx.O ruivo e Mauren partiram pra cima de Roger.
                                        ***
Hell olhou a grande de majestosa porta de carvalho emperrada,era o caminho para a sala 3.Disse para Paulo,Celly e Luiz se afastarem,tomou um pouco de distância,segurou firmemente o machado então jogou seu peso nele com uma expressão de dor.O golpe foi violento tirando algumas lascas da porta.Fez de novo,as mãos recomeçaram a sangrar...De novo,uma fenda se abriu na porta,as ataduras ja estavam ensopadas de sangue.De novo,Hell soltou um grito de dor,os ossos das mãos estalavam,mas a fenda aumentou.Mais uma vez,metade de um dos lados da porta caiu,Hell foi amparada por Paulo.Eles entraram vendo Henry ferido e preso a mesa de necropsia.Paulo o soltou,Henry tinha perdido muito sangue,parte do lado direito do corpo estava com os ossos e tendões expostos.
                                          ***
Linx sentiu o bisturi ser cravado em seu ombro,ele o tirou metendo de encontro as costelas do homem de olhos amarelos.Este arregalou os olhos e nada mais,empurrou Linx contra os fios,Linx se segurou na parede.O homem pulou em cima dele querendo jogá-lo contra os fios.
Do outro ado Roger lutava contra o ruivo que lhe jogava pequenos explosivos,além de Mauren que o atacava com uma marreta.Pegando uma das bombas antes de cair no chão Roger  jogou em cima do ruivo,que com olhar assustado se viu envolvido pelos braços da morte.Mauren ficou salpicada de sangue e pedaços de carne mas continuou a atacar Roger.Os quatro lutadores se aproximavam.
O homem de olhos amarelos viu seu ataque dar errado,Linx se esquivou jogando-se no chão,nesse exato momento Roger e Mauren se aproximaram,Roger deu um empurrão no homem de olhos amarelos,este ia cair nos fios mas jogou Mauren antes,o que o fez tornar a se equilibrar.Ela gritou enquanto os fios cortavam sua pele e carne.
O homem de olhos amarelos riu,logo depois pegou Roger pelo rosto batendo sua cabeça contra a parede fazendo-o desmaiar.Eram só Linx e ele agora.
                                         ***
Henry desceu da mesa,estava muito fraco,por um momento o mundo ficou escuro e ele despencou,em cima de Hell que com as mãos machucadas não conseguiu fazer mais que escorá-lo com o corpo derrubando uma bandeja cheia de instrumentos no percurso.
Todos prenderam a respiração por momentos...Os torturadores ja deviam estar voltando.
                                        ***
O homem de olhos amarelos abandonou Linx no meio da luta gritando algo como "tenho que terminar isso".Correu para a sala 3.
Encontrou Henry deitado na mesma posição,um filete de sangue corria lentamente da mesa de necropsia para o chão.Mas o que realmente chamou sua atenção foi a grande porta destruida e na frente dela uma garota que parecia semi-consciente.Ele caminhou até ela a sacudindo pelos ombros alvos.
- Fale alguma coisa antes de morrer! - Ele falou apertando o pescoço da moça.
- Adeus idiota. - Disse Celly lhe dando um soco que o fez cair longe.
Hell,Paulo e Luiz entraram pela porta semi destruida no mesmo momento em que Linx entrava pela outra porta.
O homem de olhos amarelos estava acuado...O que todos esqueceram é que um bicho acuado fica mais perigoso.
                                                ***
Henry não acreditava no que via,nem sabia como acontecera.Só sabia que agora,Luiz,Paulo e Celly estavam no chão desacordados.Viu Hell tentar golpear o homem,este sacou uma pistola e atirou nela.Hell caiu batendo na parede,um filete de sangue claro escorreu por sua boca.
Henry não sabia ao certo se ela estava morta mas aquilo lhe deu medo.Linx também atacou aquele demonio de olhos amarelos mas este o golpeou com um punhal curto bem perto da mesa onde Henry estava.
Com esforço e dor extrema Henry pegou o pequeno pedaço de fio cortante que restara ao seu lado,levantou rapidamente passando o fio pelo pescoço do homem,apertou com forças que ele não sabia de onde tirava.O homem soltou alguns sons sufocados,se remexeu inteiro e então relaxou com um grunhido que indicava sua morte.Desmaiou após isso...
                                             ***
Mauren caminhou devagar pelos corredores de marmore e madeira,afinal por uma sorte tremenda ela acabara sobrevivendo a traição de seu suposto lider.Além disso Linx achara interessante deixá-la na I.S. apesar das ameaças de Hell que disse que mataria os dois durante o sono.Mauren passou por Celly que estava com um curativo na testa e outro no pescoço.A moça fixou os olhos azuis nos dela dizendo.
- Tranque seu quarto antes de ir dormir...Não que isso vá adiantar muito. - Continuou andando com olhar de desinteresse.
De certa forma Mauren achava que agora começava uma nova vida para ela,apesar dos pontos e curativos na maior parte do corpo ela se sentia bem.Linx levara 7 pontos na barriga apenas,Roger apenas tivera um curativo na cabeça.Paulo precisara engessar um braço e Luiz ganhara 3 pontos no lábio inferior e mais 3 na nuca.
O mais afetados foram Hell e Henry.Os segundo entrara num coma de uma semana,Hell não deixara que ninguém cuidasse dela,mesmo que tivesse deixado Linx extrair a bala que a atingira no ombro,ela ouvira comentarios na mansão sobre suas mãos precisarem de uma cirurgia de reconstrução.Após isso se isolara ao lado da cama de Henry,esperando-o acordar.Finalmente sua espera acabara,ele abriu os olhos dizendo.
- Guten Morgen Mädchen...Estava preocupado com você.
- Bonjour chers,eu estou bem,você que precisa de cuidados. - Eles começaram a conversar,de vez em quando ele dava tristes olhadas para as ataduras nas mãos distorcidas dela,ela também olhava para as ataduras que se estendia por todo o lado direito do corpo dele.
Começava uma nova era para a I.S.
Tinkerhell
Enviado por Tinkerhell em 11/11/2007
Código do texto: T732326

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tinkerhell
Maringá - Paraná - Brasil, 27 anos
150 textos (37730 leituras)
1 áudios (289 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/08/17 04:13)
Tinkerhell