Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ele veio das estrelas e mudou as suas vidas para sempre


Falou-lhes de paz, quando a guerra era o mandamento predominante, fazendo com que as trevas deixassem aquele lugar e no seu lugar se instalasse a mais radiosa paz. Falou-lhes de amor quando o ódio era a linguagem de todos os dias de, pelos inúmeros caminhos por si percorridos, ter apenas encontrado uma única linguagem comum, uma única moeda de troca, e essa língua, a possibilitar a comunicação supostamente impossível entre povos tão diferentes era o amor, o verdadeiro construto das grandes obras humanas e pedra basilar no transformar do sonho na mais pura das realidades. Ensinou-lhes o significado da solidariedade numa altura em que ser solidário era o equivalente à solidão, devolvendo-lhes a verdadeira essência do calor humano que, por estar arredio dos seus corações, o julgavam perdido. E também lhes ensinou artes perdidas pelo tempo, reavivou-lhes a memória ancestral de saberes esquecidos, artes nas quais as feridas nunca mais seriam fatais, artes nas quais poderiam exprimir todo o seu sentir, toda a imensidão sentida dentro de si mas que devida à falta de meios e ignorância mirrava dentro deles, começando também assim a desaparecer a alma de um povo. E por isso, ao devolver-lhes a essência, ao ressuscitar-lhes a alma recuperou-lhes o substracto que julgavam perdido no meio das suas imensas divisões. Indicou-lhes o sentido do futuro e as imensas vias que a ele dariam, disse-lhes, na profundidade e intensidade dos seus olhos negros, tão negros como o lugar de onde viera, ser o caminho das estrelas o caminho de todos os homens, mulheres e crianças, porque enquanto sonhavam em ganhar esse vácuo impossível melhorariam a sua vida de todos os dias, porque quanto maior a dimensão da ambição humana maior será o seu futuro e as hipóteses de o alcançarem. E foi num dia triste, no dia mais triste que conheceram, que o viram partir, que o viram desaparecer para sempre no meio das nuvens, envolvido em fumo mas também num sorriso belo, que exibiu desde que chegou e que nunca chegou a partir. Foi um dia de sombras mas também de luz, pois a sua partida anunciava também o início da bela odisseia que aquele povo estava prestes a começar, o início dos mais belos dias das suas vidas. Ele veio do céu das estrelas para os amar, eles de igual forma o amaram, mas nunca chegaram a saber realmente o lugar da sua casa, pois o céu era imenso e estava coberto de demasiadas estrelas.
Ele veio das estrelas e mudou as suas vidas para sempre

Conto protegido pelos Direitos de Autor
Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 04/04/2006
Código do texto: T133434
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5077 textos (170354 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 06:21)
Miguel Patrício Gomes