Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

               A PHARMÁCIA

        A MORTE DE MÉRCURIO CROMO 
            
                   CAPÍTULO I


       "QUALQUER COINCIDÊNCIA É MERA ALUCINAÇÃO"

Mércurio Cromo  após embalar uma montanha de sal amargo, jalapa em pó e pedra umes, ingeriu uma estranha bebida de cor escura [algo parecido com o pau-do-índio de Olinda/Pe, dita por todos como afrodísiaca [eu mesmo já tomei o pau-do-índio de Olinda!], uma mistura de
erva-doce, chá-mate, flor de sabugueiro, catuaba [aquela do Diquinho [São Luis/MA], alfazema, chá de boldo, bem nos moldes da cachaça temperada do Santaninha [Bacabal/MA - mercado central] em conserva de limãozinho da terra ao gosto do frêgues contendo grau e teor de pimenta classificado em frio, morno, quente e superquente. Simplesmente, um arsenal de 45 espécies pronta para serem apreciadas] foi até o bar do sr. Apracur,  e lá chegando com a cara cheia de penicilina com salsa três quinas, já muito pra lá de sonrizal, o filho de uma óleo de ricino na maior cara de vaselina beijou a feia e fanha farmicetina, dançou um funk e um  reguee com a prima coristina,  sambou um pagode com a mana da clorafenicol, e finalmente, sair valsando no saloon com a mana caçula da 
violeta genciana.

E assim após a noite avançar pela madrugada Mércurio Cromo alimentando um sonho, um desejo incontido de casar-se a todo custo com a mais bela manceba e charmosa do lugar, a senhorita branquecela Anaséptil em Pó, com desmedida audácia passou a dar prosseguimento na execução do mais sórdido e maquiávelico plano de rapto
e fuga antes já visto por aquelas distantes
plagas já testemunhado, pois enquanto todos assistiam distraídamente ao show da dupla Farmacêutica
Jalapinhão e Cabacinha, pediu para o garçon, o sr. Anador duas cervejas preta, três salsas de 3 quinas e um caxé de pílulas Paulo Famoso, pagou-as, e sorrateiramente, após render a Anaséptil, imediatamente transpulmin a porta do bar pondo os pés na estrada e se de ban-aid se scaflan deu-se no meio do mundo tomando doril, e se estomazil, sumiu com a inocente maná das crianças, aquela patricinha bem assucaryl toda metidinha a metionina, filha do Sr. Ruibarbo Ruão com a dona  magnésia pugativa 
bisurada.

No mesmo instante a estranha notícia logo se espalhou por toda a vila como um rastilho de pólvora.  Ao tomar conhecimento do ocorrido o Sr. Lacto-purga que não guardava nada mesmo, muito menos  a sua "obra", tendo a fama de ser boca frouxa sem "esparadrapo", foi logo de ponstan  a casa do seu irmão o coronel Ruibarbo Ruão que ao saber da cinematográfica fuga dos pombinhos ficou muito, mais muito mesmo, 
emulsão nado e muito furacin da vick vapo rub. Olha meu caro leitor, foi um verdadeiro dramin B6 na vila Vitamina C B12, uma bomba de álcool iodado com glicerina de 130 G de efeito retard
, já que boa parte da população em peso vibramicina o tempo todo para que o coronel não alcançasse o casal de fugitivos.
     
Porém nem tudo era alegria na vila Vitamina C B12, enquanto o povo vibramicina, o coronel Ruibarbo já um pouco mais melhoral das suas emulsões tomou uma talagada de scott de bacalhau com biotônico [fontoura], e então, ao superisth aquele primeiro momento  de muito complexo poliplex , de pura dificuldade, foi até o seu quarto, pegou o seu velho e enferrujado alkasetz's e passou a municiá-lo
de pílula contra o estupor.

Na manhã seguinte o coronel foi até o cabaret da madame Butazona
e lá reuniu os mais destemidos e corajosos homens da Vila. Logo de cara convidou o homem de  Cálcio, Magnésio e Zinco o Polivitamínico e polimineral d'alcunha Berocal; após convocou o campeão dos campeões o Rei Zullur Tutangir; chamou o destemido e ora já falecido o carniceiro Glimiton; e ainda, de quebra o mais rude dos rudes, o quebra ossos Kalyamon de alcunha estafan,

finalmente para juntar-se ao grupo o mais perigoso dos perigosos, o mais forte dos fortes, o super-homem da vila Vitamina C B12, o pistoleiro matador, o carniceiro comedor de criancinhas, adultos e velhinhos, o homem de ferro Sufato Ferroso.

Como um louco furioso, o coronel começou a gritar para que todos tomassem assento em suas respectivas mylantas plus, e assim, logo em seguida saírem em transloucado galope: cepacol! cepacol! cepacol! Impondo uma perseguição implacável aos fugitivos da vila, enquanto o coronel praguejando jurava a todo instante fazer vingança com as próprias mãos, em nome da honra, da moral e dos bons costumes, bradando que na hora em que os encontrassem, decarregaria sem velho e eficiente
alkasetzs  na cara de Mércurio Cromo
, e ainda, aos berros afirmava que mércurio cromo não valia um cibazol furado, quanto mais uma cibalena.

Ali mesmo no meio do deserto ao encurralarem mércurio cromo e sua bela amada Anaséptil em Pó
, cumpriu-se o destino!  O coronel de arma em punho descarregou a sua velha alkasetzs contra o "inocente" mércurio, dizendo-lhe: "toma seu filho de uma banha de cacau; toma seu filho de uma sulfadiazina e de uma reparil gel: 

CATAFLAN! CATAFLAN! CATAFLAN! E mércurio cromo, coitadinho, sem esboçar qualquer reação caiu ao solo esvaindo-se em
elixir paregórico.
Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii rarical.....gelol....morreuuuuuuuuuu!!!!!!!

                  THE END.



Atenção!!!
No próximo capítulo II
O amargo regresso de Tetrex500 e seu transloucado e fiel camareiro desalmado, o sir. Lê Roy Purgattivo da Gôta Binelli de Merda Nenhuma - A Vingança!

 
serraomanoel
Enviado por serraomanoel em 26/09/2007
Reeditado em 07/08/2008
Código do texto: T669881

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
serraomanoel
São Luís - Maranhão - Brasil, 57 anos
1502 textos (160984 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 23:06)
serraomanoel