Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
 
 
 
 
                           Aguardando o extrapolar da plena consciência, vejo nos teus olhos a conexão com as raízes de um entardecer. Este que domina o derradeiro sentido dos teus dias, e me toca como açoite que fustiga inclemente meu sentimento, que não para de querer-te.
 
                         O infinito e a dor sem limites da minha culpa que me pune quando me diz incessantemente ser toda minha, a responsabilidade deste ocaso que se acerca de você. Meu desassossego por amar demais, mas ainda assim não amar tanto, ou pelo menos o suficiente para nos teus dias fazer com que o sorriso surja nesses urgentes lábios.
 
                        Portanto e então sendo assim, que a penumbra se contorça e se desfaça concebendo a luz. E deste calor a cálida brisa que seduz o ritmo dos nossos corações finalmente venha insuflar o tempo. O consentimento para amar mais um pouco. Até o limite de tudo o que já foi exposto, algo assim bem próximo da paixão.
 
                       Porque contigo serei por inteiro, seremos luz e candeeiro, transportados até o fim dessa estrada na qual a madrugada acorda, para se tornar no primeiro passo de um amanhã. Pois meus olhos, sem teu olhar fazem do futuro um paradoxo.
 
 
 
Gerson F Filho
Enviado por Gerson F Filho em 19/10/2007
Código do texto: T701601
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gerson F Filho
Guarapari - Espírito Santo - Brasil, 60 anos
352 textos (8677 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 12:25)
Gerson F Filho