Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


      MUIÉ DO SERTÃO


Eu nasci e me criei
nas mata do meu sertão
digo isso cum orguio
num tenho vergonha não.

Como hoje ouvi dizer
que é o dia da muié
vou falá minhas verdade
mandando um recado procê
muié rica da cidade.

 Minha pele é queimada
do sol quente do sertão
ja tu diz que é bronzeada
num arcredito  nisso não
apois no sertão ou na cidade
o sol é uma coisa só
essa é minha verdade.

Minhas mão cheia de calo
do cabo da minha enxada
trabaia de sol a  sol
e as tua vive pintada
passa o dia se infeitando
e eu infrentando a mata.

E pra tê pele bunita
sem ser discascada do sol
lambuza o corpo com creme
enquanto meus creme é o suor
que escorre com o calô do sol.

Nossas vida é diferente
moro  num pedacim de chão
inquanto tu mora 
num grandi e alto espigão
mais numa coisa somo iguá
é o nosso coração.

Eles tem a merma cor 
bate com a merma velocidade
mais quando ele qué pará
ele para de verdade
tantu faz eu tá no sertão
como tu na na tua cidade.

            florzinh@
           08/03/06

florzinha
Enviado por florzinha em 06/03/2006
Código do texto: T119624
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Socorro Teixeira de Castro ( Flozinha)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
florzinha
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 64 anos
4138 textos (1195114 leituras)
5 e-livros (3402 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:26)
florzinha