Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TELEFONICA

TELEFONICA
Cdor Heraldo Lage

Tenho a dizer que pra agüentar a TELEFONICA
É preciso ter no mínimo uma paciência biônica
Eu pedi transferência de local e linha telefônica
E tentei conseguir uma convivência harmônica

A linha estava na cidade de São Vicente,
Mas passei a residir na cidade de Santos
Nem sei qual é a atual legislação vigente
Só sei é que meus problemas são tantos...

Protocolos das reclamações, eu já tenho uns vinte!
Agora transferiram, mas ainda não ligaram minha linha!
Acho que podemos considerar isso um baita dum acinte!
E o que é que eu posso fazer? ...   Cacarejar como galinha!

Primeiro marcaram na segunda para até sexta-feira
Não transferiram nem ligaram! Eu liguei e reclamei!
Disseram que iam, mas nem no sábado, eles ligaram!
Passou-se o final de semana e só liguei na terça-feira
Reclamando o prazo. Por que não ligaram, eu não sei!
A atendente, solícita, disse que novo prazo... Marcaram!

Mas que isso só se daria até a sexta-feira seguinte!
E que eu novamente esperar deveria, por conseguinte.
Mesmo reclamando esperei, sem outra alternativa!
E o que conclui foi que erraram em sua nova assertiva.

Pois a sexta se passou, o sábado e o domingo também...
Na segunda reclamei de novo! Não desejo isso a ninguém!
E à tarde eles vieram para por linha em meu novo endereço...
Eu não estava, mas me disseram que trabalharam com apreço!

Ao chegar à minha casa, feliz, liguei meu aparelho telefônico,
Pensei... “Agora vou navegar na net, em um vôo supersônico”!
Antes liguei para minha mãe e passei o meu novo número, feliz!
Só que depois percebi que novamente eu não acertei por um triz.

Meu aparelho acusava um defeito que eu mesmo nunca havia visto!
Uma luz intermitente e um barulho, cloc, cloc, cloc, o que será isto?
Liguei pro 103 e fui muito bem atendido!  Enésima vez!  Novamente!
Meu Deus, eu pergunto... Como conseguem fazer isso com a gente?

Ah! Ia me esquecendo... A cada vez que pro 103 a gente liga...
Aperta tantos botões... Pra não errar, tem que fazer muita figa!
Ouve-se pouca música, porque agora não existe mais demora!
Se tu ligares pra lá, verás que eles vão te atender, ainda agora!

Só que é tudo por secretária eletrônica e tu te sentes um idiota!
Em meio a tantos problemas... Como se tu fosses uma ilhota
Mas entre tantos atendimentos eletrônicos, também surgem
Vozes humanas para atender teus problemas que urgem!

O problema é que todas essas pessoas simpáticas, acabam te transferindo
Pra outro setor. O que dizem com toda convicção ser o Setor Competente!
Pra tratar do teu problema, tão simpaticamente que também acabas rindo
E ao final de tantos atendimentos, tu Te achando o maior incompetente!

Porque teu problema eles não resolvem! Mas te enchem de esperanças
Enquanto tu continuas a esmo, barata tonta, perdido em tuas andanças
E a equipe da TELEFONICA, também não perde o pique nem a simpatia
Mas no que interessa, resolver o teu assunto continua na maior apatia!

Como estava dizendo... Liguei pra mamãe, tudo Ok, funcionando!
Dei meu novo número e ela, esperta como só, foi logo o anotando
Pedi que me ligasse logo, aquela que sempre esteve ao meu lado
Como demorava eu religuei. Algo podia ainda estar dando errado!

Não deu outra, minha mãe logo falou... Eu ligo! Só dá ocupado!
Eu disse, mãe, meu telefone esteve todo o tempo desligado!
Ela disse... Quer saber? Esse teu telefone está é quebrado!
E eu, nessa tortura chinesa, disse, mãe, muito obrigado!

Pedi a um outro amigo que tentasse me ligar
No momento ele detinha consigo um celular
E disse, deixa comigo! Agora eu vou tentar
Daqui da rua mesmo é que eu vou te ligar

Ligou... Ligou... Ligou... Tentou... Tentou... Tentou...
E o que aconteceu? Se ferrou... Se ferrou... Se ferrou...
E novamente, eu no momento já sentado ao seu lado...
Ouvi... Meu amigo, esse teu telefone... Só dá ocupado!

Nisso já havia passado ao menos uns vinte dias!
E eu pensando... Como pude entrar em tantas frias?
No dia seguinte, “calmamente”, religuei pra TELEFONICA!
Que tal reclamar por música? Contrato uma orquestra sinfônica?

Que nada! Foi no gogó mesmo que eu falei sobre os tais sintomas
E sinceramente eu não usei nenhum daqueles já famosos axiomas
E aguardei “tranqüilo” me passarem aos tais setores “competentes”
Evitando excretar raciocínios que na mente se encontram clementes

Luz intermitente... Eu ligo normalmente...
Mas, ninguém consegue é ligar pra gente!
E o último atendente, um rapaz inteligente!
Disse-me depois de uns testes, gentilmente...

Senhor... Tua linha está cruzada!
A ligação do teu telefone está errada!
E agora como é que resolvem essa parada?
Porque sem telefone, eu não posso fazer nada!

Solícito ele respondeu... Vou pedir com a maior urgência!
Ainda hoje terás um técnico para o conserto. Tenha paciência!
E cumpriu com sua palavra! Por volta das quinze horas, chegou!
O tal técnico que em poucos minutos, consertou tudo e me arruinou!

Mudou minha ligação de um terminal pro outro e disse... Esta que é a tua!
Está sem sinal, mas em menos de uma hora, na central estará consertado!
Foi-se embora e deixou-me ali, literalmente, falando sozinho no meio da rua!
Tu queres mesmo saber? Até agora ainda estou com meu telefone desligado!

Liguei novamente para a central! Que sina! QUE ARRASO!
Disseram que este meu NOVO PROTOCOLO ainda não venceu!
E marcaram para amanhã, mais um outro... Um outro NOVO PRAZO!
A ladainha se repete! Tu sabes quando ESTE MARTÍRIO termina? Nem eu!

Tem ainda o caso do speedy que eu já contratei e agora vem conta pra pagar...
E como ficará esta situação eu não sei, porque... Como é que eu vou honrar?
Um contrato que eles mesmos não me permitem de forma alguma desfrutar!
Mas essa já é uma outra parte da história, que talvez algum dia eu vá contar...

Heraldo Lage
Amigos Verso & Prosa
http://www.hlage.com.br
Em, 28-04-2005 – 00:38 hs.
Cdor HeraldoLage
Enviado por Cdor HeraldoLage em 18/06/2005
Reeditado em 16/11/2012
Código do texto: T25579
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cdor HeraldoLage
Santos - São Paulo - Brasil, 66 anos
46 textos (3462 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 09:01)
Cdor HeraldoLage