Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ZOOFILIA CORRE SOLTA NO INTERIOR...

Rapaz da Zona Rural
Sofre pra achar mulher
Hoje é tudo descampado
E tudo o povo da fé
Se tiver trauma na venta
É um coice de jumenta
Pois fica a forma do pé

O sexo no interior
Começa logo mais cedo
Vêem boi cobrindo vaca
Começam perder o medo
Os meninos se excitando
Começam botando o dedo


No Sertão é tradição
A tal da zoofilia
Uma corda na cintura
Milho dentro bacia
Correr pra roça da mula
Ter prazer com garantia

Jumenteiro é conhecido
Lá pra bandas do Sertão
Não frequenta cabaré
Anda com corda na mão
Tem mula como transporte
Inventa que é esporte
Mas isso não cola não!


O contato com mulher
Quando tem é deprimente
A vagina é mais embaixo?
Mais atrás ou mais na frente?
Em pé tava acostumado
Agora fazer deitado
Tá tudo bem diferente


O bom é não levar coice
E ainda poder beijar
Não precisa mais de milho
A corda mandei queimar
Depois de uma gozada
Não preciso dar lapada
Pra coitada se mandar


Agora mulher é caro
Quer cigarro e quer cerveja
Café da manhã na cama
Bem servida na bandeja
Suco? Só se for do bom
DVD, TV e som
Se brincar quer ler a VEJA


A pobre da jumentinha
Não ganhava quase nada
Era tratada no chute
No chicote e na porrada
O máximo que ganhava
Era o milho que lhe dava
Pra pegar na emboscada


Mulher tem nome bonito
Jackeline e Juliana
Jumenta pobre coitada
É só Cebola e Trubana
Ninguém faz carinho nela
Quando um carro a atropela
Urubu faz caravana


Agora o nobre rapaz
É homem da sociedade
Só faz sexo com mulher
Com jega nem a amizade
E se um engraçadinho
Falar de seu passadinho
Diz ele não ser verdade


Vejam só meus camaradas
Tamanha da ingratidão
A jumenta muito usada
Agora não serve não
Foi trocada por Buceta
Na falta! vai de punheta
Viva os cabras do SERTÃO!
Poeta de Branco
Enviado por Poeta de Branco em 14/01/2011
Reeditado em 15/01/2011
Código do texto: T2729336
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeta de Branco
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 38 anos
113 textos (12661 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/14 16:23)
Poeta de Branco



Rádio Poética