Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quer casar comigo?
Fernando Reis Costa

Fiz contas... fiz orçamento,
Vi quanto posso ganhar
Para a família suster...
Nem mais pensei no momento:
É hora de casamento!
É isso que vou fazer!...

Cheguei juntinho da querida
Que eu em silencio amava
E pedi-lhe a “sua mão”...
- Meu amor...já sou casada!
Bateste na porta errada
Aqui não te safas não!

Peguei no meu violão
Senti a face corada...
E pensei comigo então:
- Solteiro, não fico não!
Vejam bem esta safada,
Que logo me deu “tampão”

Agora é sério, “amigão”!
Fui ter com a Mariana,
Minha antiga namorada
(que de mim muito gostava)
P’ra resolver casamento...
Mas... de novo, em mau momento!

E logo ouvi então
Da boca da Mariana:
- Ó meu velho, ó meu querido,
Bem queria casar contigo!
Já que casavas comigo...
Mas tenho homem na cama!

Ó que sorte desgraçada!
- Santo António, por favor,
Se és Santo casamenteiro...
Tira-me desta embrulhada!
- Porque não encontro amor?
Achas bem ficar solteiro?!...

Cala a boca, ó parvalhão!
- Disse o Santo já zangado...
Toca aí no violão
Que mulheres não faltam, não...
Mas se pedes só a “mão”
Como podes ser casado?

http://www.ventosquepassam.com.br/

&

Candidata se apresentando
Tere Penhabe

Eu li a vossa proposta
em portal dos afamado
muito sério e de lisura
portanto valorizado
não sei se talvez eu possa
lhe fazer contra-proposta
por isso mando recado.

Fiquei enternecida
confesso de coração
da primeira porta errada
onde foste pedir a mão
isso acontece comigo
não só uma vez é seguido
dei é com a cara no chão.

É história muito comprida
mas vou aqui pincelar
por duas vezes seguidas
pensei ter a quem amar
mas chego sempre atrasada
tem sempre uma aloprada
ocupando o meu lugar.

Eu lhe digo a mesma coisa
é sério e pra lá de urgente
já tô passando do ponto
me casar já é premente
as coisas tão perigando
com o tempo sempre voando
urgência é conveniente.

Vamos lá ao que interessa
que Mariana feliz é
não tenho homem na cama
e nem mijando no pé
esse artigo tá escasso
fora os que nele eu passo
sem poder nem botar fé.

A Santantonio não peço
que esse santo já aprontou
não foi uma, duas vezes
marido ele me arrumou
me deixou com a bananosa
sem nem um dedo de prosa
e muito menos de amor.

Entendo bem o que diz
esse santo é engraçado
além de não ter razão
inda dá uma de zangado
se sobra é no paraíso
porque aqui é grande o risco
de acabar abandonado.

Deixa eu vender meu peixe
porque o tempo tá escasso
se quiser casar comigo
o negócio tá fechado
dizem que já matei dois
mas eu explico depois
isso é calúnia e pecado.

Não matei nem aproveitei
só fiz a parte madrasta
paguei festa e comelança
depois danaram na praça
se chifre fosse de ouro
eu tinha cá um tesouro
de valor pra qualquer raça.

Não sou bonita demais
nem feia de arrepiar
com jeito e boa vontade
dá bem pra me encarar
faço a tua bóia e a minha
você só limpa a cozinha
assim dá pra conversar.

Dote já não tenho mais
só mesmo o meu coração
gastei curando marido
pra depois ficar na mão
me diga o que você quer
peça tudo o que quiser
não venha com essa de mão.

Pedir mão já é passado
nisso eu abono o santo
com tanta variedade
pedir mão é desencanto
dela você não precisa
não vou lhe ensinar a missa
mas já estou até rezando.

Aguardo vosso retorno
eu espero seja sério
que não demore demais
pra não ser no cemitério
se acaso você negar
com sarna há de se coçar
só não aceito adultério.

Santos, 05.11.2006
www.amoremversoeprosa.com
Tere Penhabe
Enviado por Tere Penhabe em 05/11/2006
Código do texto: T282704

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tere Penhabe
Santos - São Paulo - Brasil, 61 anos
252 textos (25814 leituras)
5 áudios (601 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:51)
Tere Penhabe