Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem senhor e sem anéis

Era um lugar com dois povos
Os povos do norte e os povos do sul
O sul dos nobres, o norte pobre.
A gente humilde e os de sangue azul

Mas em que pesassem as suas carências
Os pobres tinham os seus notáveis
Gente de fibra que persistente
Driblava a sina de indigente

Fazia dia de suas noites
De alegria os seus açoites
A agonia é com seus botões
A roupa suja é nos seus grotões

Exercitavam as suas vertentes
De serem gente algo diferente
Eram temidos pelos seus feitos
Podiam, ricos, serem perfeitos

Os abastados, ricos sulistas,
De egoísmos e grossas vistas
Corporativas concepções
De intransitivas convicções

Com os seus ditames regiam tudo
Não concebiam contestação
A história sempre lhes conferira
Absoluta dominação

Nem precisavam de seus notáveis
Para validar sua posição
Simples menção de sua linhagem
Autenticava a perpetuação

Mas eis que um dia de tantos outros
Percebera-se sutil mudança
Nada que alguém do sul não notasse
Nem que aos do norte  fosse esperança

Foram chegando de mala e cuia
Certos nortistas desavisados
E se infiltrando nas cercanias
E pontilhando o sul de pecado

Eram bagagens de muitas cores
Disseminando subversão
Eram panelas de mil sabores
Que provocavam degustação

E quando menos se esperou
Alguém dos pobres se arvorou
Aglutinando para o seu lado
Forças da horda inconformada

E a balança, antes pendente
Equilibrou-se incontinente
Foi produzindo, por sua vez
Um sincretismo pobre / burguês

Contribuindo com a verdade
De que eram povos de qualidade
Só não sabiam o seu caminho
Só não podiam crescer sozinhos

E um futuro já começou
De um povo que se conscientizou
Foram mesclando-se em harmonia
E estabelecendo a cidadania
Edbar
Enviado por Edbar em 19/11/2006
Reeditado em 21/11/2006
Código do texto: T295832
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edbar www.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edbar
Recife - Pernambuco - Brasil, 65 anos
2870 textos (82764 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 16:13)
Edbar