Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PRESO PELO DESTINO

Não é só pela seca
que se deixa o sertão!
È também por trabalho,
por melhor condição,
que se deixa a família
e corre atrás de patrão.

È triste companheiro
você largar a amada,
os filhinhos queridos
e sair pela estrada,
tendo somente certo:
a saudade e mais nada.

Ir pra lugar estranho,
ver estranha gente.
Não pensa como nós,
nos trata diferente.
Sendo discriminado,
o coração se ressente.

Dias longos demais,
custam tanto a passar.
Vivendo forasteiro,
somente a trabalhar
e juntar o possível
à família mandar.

Ainda por pagar
o que foi emprestado
pra fazer a viagem!
Passa "mal bocado"
Vivendo tão triste
ali escravizado.

Assim passa o tempo,
preso pelo destino.
Diz o filho rapaz,
que ele deixou menino:
"Não conheço o meu pai
que me deixou franzino".
Damísio Mangueira
Enviado por Damísio Mangueira em 11/08/2011
Reeditado em 03/10/2011
Código do texto: T3152984
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Damísio Mangueira
Cajazeiras - Paraíba - Brasil, 48 anos
211 textos (17330 leituras)
13 áudios (1574 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 12:31)
Damísio Mangueira