Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Presente do Destino

prestem muita atenção
no que agora vou contar
eu sou filho do sertão
e jamais deixei meu lar

sonhava em ser doutor
pra vidas poder salvar
deixei de ser lavrador
fui pra cidade pra estudar

estudei na faculdade
passavam dias, passavam noites
perdi a mocidade
nas costas o açôite

certo dia me formei
muita alegria tive então
logo após me casei
amarrei meu coração

do casamento veio um filho
pra alegrar o meu viver
tantos anos teve brilho
meu sorriso a proceder

dezoito anos logo fez
de maior ele já estava
dei-lhe um carro neste mês
o carro que ele sonhava

viagens ele fazia
era belo o teu viver
para longe ele ia
no seu carro a correr

certo dia uma viagem
pra muito longe ele fez
era tempo de estiagem
mas tava frio naquele mês

no meio do caminho
vejam o que aconteceu
um homem ia sozinho
quando meu filho nele bateu

meu hospital lá na cidade
era de grande movimento
era um dia de claridade
mas fazia muito vento

na sala da secretária
o telefone logo tocou
angustiada comissária
no meu consultório ela entrou

me disse logo meio branca
preste atenção seu doutô
na tal lagoa santa
seu filho se afogô

seu carro caiu na água
da lagoa da cidade
dei-lhe o carro e tive mágoa
perdeu sua mocidade

hoje choro ao relembrar
dessa história seu moço
meus sonhos a embalar (...)
um foto em meu pescoço

do filho tenho saudade
das brincadeiras que eu fazia
morando aqui na cidade
só tive desalegria

estudei pra ser doutô
pra vidas poder salvar
mas meu filho se afogô
e eu nem pude ajudar

hoje sinto tanta mágoa
vem de dentro do coração
quando pego um copo d'água
meu pranto molha o chão
Euzebio Alves
Enviado por Euzebio Alves em 07/11/2005
Reeditado em 07/11/2005
Código do texto: T68578
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Euzebio Alves
Goianira - Goiás - Brasil, 31 anos
35 textos (2841 leituras)
1 áudios (296 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:50)
Euzebio Alves