Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Comentários que deixei no cordel da Mira Ira “A SAGA DE DOIS POETAS”

 

Mininas, ceis são dimais, mi fizerum rir de monti

Gente de Minas Gerais, que vivi lá im Belzonti

Os dois gato aí drumindo, um parece que é castrado

Será que eles tão fingindo, ou tão mermo imbriagado?

Nós vai apanhá dos dois, adispois desse cordé

Mas não deixo pra dispois, de rir cum oceis, Muié.

Tomara que elis intenda essa nossa brincadêra

Que os cumpadi num si ofenda,Pois nóis semo cumpanhêra.

 

 

Comentários que deixei na escrivaninha do Airam, o poeta injuriado.


 

Cumpadi, mais que furdunço é este? Tá muitio do bão.

Anceis não tão sabeno trocá gintileza cum as muiés.

Agora pra miorá, só farta manda as fulô pra elas se alegrá.

É muito da divertida essa nossa confraria,

Mais num é bom fazê rima com a palavra que arrelía.

Anceis são tudo pueta, gente de bão coração,

Vevi fazeno seresta dibaixo lá dos balcão.

Airão, ocê memo disse que é fã da Milla e Mira,

Num vai se ofendê cum elas, vão dexá as inquiziras.

A briga tá muito boa, num pode pará agora,

Continuem cuns goró, carne seca num demora.

Quero mais vê gente rindo, cas doidice divertida,

Ceis são tudo bons minino,língua afiada e atrivida.

Vô dexá ocês falano, pois a cunversa tá boa,

Mas num fiquem mais brigano, eita gente mais atoa.

 

Comentário II

 

Cumpadi Pedrim,

 cumpadi Airão,

Trate as muié cum carim,

Elas só dão emoção.

Tá divertida essa briga de cumpadi cum cumadi,

Me meto que nem lumbriga, pra refazê amizade.

Anceis são tudo criscido, divia já intendê,

Que quano nós briga cum marido,
Nóis num sabe o que fazê,

Pur isso a gente briga, cum aqueles que tão por perto,

Quase sempre é nosso amigo, é por isso que dá certo.

Faça as pazes cum a Milla, cum a Mira Ira tamém,

Duma veiz cê aniquila a reiva que num faiz bem.

Deixo meu beijo carinhoso procê pará de brigá,

Mande frô pra todas duas, isto vai lhes agradá.

Mais que a briga tá bunita, isto eu devo confessá.


****

Comentário do Compadre Airão:

A clara nos mandô
Para nóis um recadin
Pra nóis mandá fulô
Falô pra eu i u Pedrin.
Nóis siguimu seus cunçêi
I pra seuví di ispêi
Axu qui devemu sim.

Para a Milla Perêra
Mandu um ramu di fulô
Só di cravu di difuntu
Cuma prova di amô
Nu mêi dus cravu u’a rã
Pra condu fô di menhã
Ela sispantá di orrô.

Pra Mira Ira tombém
U’as roza eu vô mandá
Cun u’as gota di criulina
Para ela pudê xerá
Nun vô tirá us ispin
Só pra condu lembrá di min
Us seus dedu ispinhá.

Vô mandá pelu correi
Dois maxu véi di gambá
Pra condu eli sortá pum
As duas pudê xerá
Queru qui as duas nun recrama
Pois já falei cum u ibama
Pra elis num min murtá.

Devemu tratá muié
Cum mutio amô i carin
Vô mandá pra Mira um hinu
Pra ela ci alembrá di min
U hinu du timi du cruzêru
Para di jinêru a jinêru
Ela lembra du seu timin.

I para a curintiana
Cuja tanto eu rezei
Um cordé di ribaxamentu
Qui eu memu fabriquei
I para u seu maridu
U hinu du mais quiridu
Qui é du parmêra eu sei.

Mais qui ômi intiligenti
Êci da Milla curintiana
Quem tem sangui verdi nas veia
Tem aligria i nun recrama
U restu tem inveja da genti
Pru içu qui fica duenti
Xoranu inrriba da cama.

Procêis vô dá us prezenti
Cuma prova di afeição
A Claraluna mandô
Para eu tratá cuma irmão
Viva u Cruzêru i Parmêra
Qui as taça ta na gibêra
Nóis vai é cê campião!
Hull de La Fuente
Enviado por Hull de La Fuente em 29/10/2007
Reeditado em 30/10/2007
Código do texto: T715072
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hull de La Fuente
Brasília - Distrito Federal - Brasil
2667 textos (397877 leituras)
2 e-livros (184 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 08:48)
Hull de La Fuente