Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SINA

A bela menina acordou pensando que era fada
Ela de nada sabia, nada imaginava.
Que era na verdade uma bruxa malvada
Que de cem em cem anos, uma criança afogava.

Quando morria a criança, morria também, Que maldição!
E no dia seguinte, em outro lugar renascia, sem nada lembrar.
Fosse outro vilarejo, outra época ou outra estação...
A coitada crescia achando-se fada, e assim a se imaginar.

Quando completava 15 anos, sua maldade florescia.
Fazia tudo que fosse ruim. Intrigas e judiações
Mas um dia, viu um rapaz e seu olhar a aquecia.
Não entendia o que eram essas sensações

Foi à floresta falar com a benzedeira
Que lhe deu muitas ervas e mezinha
Nem a velha entendia que não adiantava rezadeira
A menina só queria pensar no rapaz e ficar sozinha

No rapaz pensava e sentia calor
No corpo, na alma e no coração.
-“Quem será este belo senhor?
Que passou defronte ao meu portão?”

Um dia, enquanto treinava feitiços.
O rapaz apareceu e lhe perguntou:
“- Senhorita, leria estes rabiscos?”
A menina lendo o papel falou:

-“Eu mesma admito sem medo
Sou uma bruxa, mereço ser queimada!
Vou dar fim a este triste enredo
De nascer, matar e morrer, sem ser amada “.

O rapaz sem pestanejar a agarrou e a amarrou
Em uma árvore grande e frondosa
A bela menina então perguntou:
“-Fiz-lhe tamanha coisa horrorosa?”.

Ele a olhou com ódio nos olhos e falou, sem receio.
“-Embora não mereça explicações , vou lhe contar o que fez
Matou meu irmão menor, meu irmão do meio
Deformou seu rosto, transfigurou sua tez  3 nov     excluir kelly feliz
“-Jurei vingá-lo, e há séculos a procuro
E antes que cometa outro ato de loucura
Acabarei com sua vida agora,eu juro!
Eu serei da tua maldade, a cura”

“Peço-lhe que me ouça, caro senhor, isto é mais forte que eu.
Sempre fui bondosa para com todos, mas um dia...
Estou em prantos, imploro-lhe que me dê o perdão teu”
O rapaz vislumbrando aquela cena deplorável, apenas ria...

“ Que Deus a perdoe, bruxa sem coração
Pois de mim terás apenas o gosto de vê-la arder
Podes gritar, chorar e implorar perdão
Pois ninguém a virá socorrer”

“-O senhor alega que não possuo coração
Que sou bruxa má e assassina
Mas lhe afirmo, não lembro de ter matado seu irmão
Só sei que eu era boa alma, agora...Oh! Que sina “

“-Eu possuo sim, bom sentimento.
Sinto algo pelo senhor, algo forte e de verdade.
Apenas por vê-lo passar já sinto contentamento
Olhe em meus olhos, verás sinceridade “.

“Bruxa! Te amei deste que a vi naquele depósito.
Mas sei que não é real, tu me encantaste.
Não me desviarei do meu propósito
Transforma-la-ei em traste

“Que assim seja, caro senhor.
Não mais pedirei por minha vida
Entrega-la-ei como prova do meu amor
E para purgar-me da maldade desmedida”.

“-Que assim seja, maldita bruxa linda.
Arderás no fogo do inferno
Agora minha missão é finda
A alma de meu irmão não mais sentirá o inverno”

Atearei fogo a teus pés, queimarás como deve.
Ver-te-ei arder, gritar e morrer.
Nada apagará estas chamas, nem mesmo a neve.
MORRA!. Já cumpri o meu dever.
Kelly Chiabotto
Enviado por Kelly Chiabotto em 12/11/2007
Código do texto: T734077
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Kelly Chiabotto
Taubaté - São Paulo - Brasil, 49 anos
21 textos (482 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 13:45)
Kelly Chiabotto