Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Jogando e Aprendendo a Jogar

Às vezes,eu fico perplexa.Ainda bem que eu fico.
Dizem que viver é jogo duro, repleto de enigmas.Eu nunca fui muito boa com apostas e jogos mesmo.
Errei sempre que palpitei numerozinhos de loteria,deu zebra, quando apostei vitórias no futebol,fui uma péssima jogadora de vôlei.Meu time esperou ansiosamente que eu acertasse um saque daqueles no campo adversário, enquanto eu sonhava com passos de dança...
Fui pior ainda em atletismo:no salto em altura, sempre derrubei barreiras.Derrubei sim!Elas caíam no chão.Eu sempre fui desajeitada pra essa coisa de altitudes...
No salto em distância, nunca pulei além de um metro e meio:tenho as pernas curtas e não sei fazer impulso com a direita.A minha esquerda também nunca foi muito competente...
Mas fui uma boa ginasta.Eu era esforçada, ritmada e constante.Gostava de exercitar meus glúteos,coxas,abdômen e persistência.
Jamais parei no meio do exercício ou fiz noventa e nove vezes ,em vez de cem.Dedicada e disciplinada.
Acabei me tornando uma pessoa assim: consistente.
Eu persisto,eu insisto,eu consisto.

Estava há pouco conferindo o índice de leituras de cada um dos textinhos que tenho postado aqui -porque a gente adora saber-se lido- ,e o que percebo é que os textos mais elaborados,aqueles a quem dediquei alguma técnica,além de maior tempo e sentimento, não têm sido os mais lidos.
Em outras palavras,aqueles nos quais apostei fichas mais caras,não chegaram sequer à metade da corrida de velocidade.
Coisas do jogo.Coisas da vida.Perdas e ganhos.
Eu tento,as minhas pernas curtas é que me atrapalham muito.
Mas também,quem falou que eu quero ganhar sempre?

Ainda bem que eu sempre gostei mais de ginástica rítmica,do que de saltos e  saques.Menos mal que a dança diz-me mais que as grandes corridas de velocidade.
Bom mesmo é jogar rimas à brisa da manhã, embaladas pela sinfonia dos pássaros da minha janela em versos  esvoaçantes e perfumados.
E fazer chegar até a janela tua o som da minha alma amanhecida.

Zully Oney Teijeiro Pontet
Enviado por Zully Oney Teijeiro Pontet em 19/01/2006
Código do texto: T100816
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Zully Oney Teijeiro Pontet
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 59 anos
219 textos (13426 leituras)
1 áudios (112 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 23:12)
Zully Oney Teijeiro Pontet