Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SE TÁ DOENDO GRITE

Nós seres vivos não somos feitos de metal.

Se formos bons observadores perceberemos que até o metal grita quando agredido por um simples toque de um martelo e seu grito é muitíssimo sonoro aos nossos ouvidos.Então, não há porque ficarmos silenciosos quando agredidos por qualquer dor.

Pessoalmente, não vejo nenhuma dor como ensinamento de vida, apenas a aceito como parte da existência, como defeito de uma máquina tão complexa como é o nosso corpo.Por acreditar em Deus, por acreditar na energia positiva que comanda nossa existência, por acreditar na força vital , sobretudo, por acreditar na vontade de viver de cada ser existente na face do universo.

Acredito também que ninguém tem o direito de se entregar ao desespero sem pedir ajuda a quem tem a possibilidade de lhe ajudar.

Ao nos depararmos com a dor, somos compelidos ao desespero, a depressão, ao medo e muitos de nós sucumbimos por não conseguirmos enxergar uma saída.Outros se entregam a qualquer coisa apenas pela aflição.

Para termos a chance da cura de nossa dor é preciso acionarmos a nossa coragem de enfrentar esses momentos dolorosos. É preciso que procuraremos conhecer o inimigo e todas as suas táticas. Junto com quem se dispõe a nos ajudar, podermos caminhar mais confortavelmente.

É preciso expulsar a VERGONHA de manifestarmos  qualquer dor .É preciso conscientizarmos de que muitas pessoas nos abandonaram pelo caminho pela falta de conhecimento, pelo medo de serem contaminadas por essas dores e saber reconhecer os seus limites.

Ninguém adoece por castigo.Ninguém que tenha alguma dor é menor ou pior do que outro ser humano. Às vezes, até contribuiu literalmente para acionar um gatilho para manifestação de sua dor – física ou da alma-  se agredindo consciente ou inconscientemente com algo tóxico ao organismo, ou a sua alma. Porém, jamais uma dor pode ser considerada um CASTIGO, pois se assim fosse, NENHUMA criança do mundo adoeceria.

Falando em criança, quando estamos em situação de risco é importante observá-las. Quando estão doentes gritam, choram mas basta uma pequena melhora para o sorriso e a alegria invadirem imediatamente seus corações enchendo os nossos ambientes de felicidade.

Como não sou diferente de ninguém, também tenho as minhas dores, os meus medos, as minhas inseguranças, mas não me deixo sucumbir aos fatos e vou exorcizando os meus anseios negativos, aceitando como verdade para minha vida, de que todos nascemos para sermos felizes e  vivermos plenamente.

Aprendi, com o passar do tempo, que nessas duras horas é hora de ligar os interruptores para acender nossas luzes internas. Descobri que a dor é uma espécie de choque sem fio terra, que tem faísca. E que  na hora da faísca é hora de gritar.

Rosa Berg
Enviado por Rosa Berg em 28/01/2006
Reeditado em 29/08/2010
Código do texto: T105060

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosa Berg
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil
509 textos (71848 leituras)
30 áudios (5857 audições)
2 e-livros (2212 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:59)
Rosa Berg