Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Raios e Trovões

O barulho  dos trovões enche a tarde de sexta-feira,o vento vem sem piedade,levantando a saia das meninas,balançando os  galhos das árvores.
O barulho assusta ,o céu fica negro em instantes.
A tarde vira noite,corro e vou tirar as roupas da corda,algumas já estão ao chão,as vassouras todas despencam e fazem um barulho danado,se misturando aos raios e trovões.
A chuva começa com grossos pingos,e eu ainda no meio do quintal sem saber se corria ou recolhia tudo,desnorteada resolvi entrar,o vento quase me derruba e com muito esforço consigo fechar a porta sem maiores estragos .Ela é toda de ferro e vidro.
Parece que será uma chuva forte e sinto um certo receio pela rua que enche de água a cada chuva bem aqui no centro da cidade.
Respiro fundo,mais um dia de chuva,mais uma ameaça,e as previsões não saõ as melhores,chuvas acima da media em curtas horas...elevo meu pensamento à Deus,pois não posso contar com mais ninguém.
As autoridades nada fazem,nada muda.
Quase todo o verão minha cidade sofre com as chuvas,no sul de Minas Gerais,fica entre montanhas e o rio Sapucaí que a corta, assoreado e com seu leito roubado por construções irregulares não suporta o grande volume de aguas.As autoridades andaram limpando há uns anos atrás,mas o que fizeram de nada muda nossa realidade,só mesmo as orações de nós Itajubense e nossa força de a cada estiagem,pegarmos os baldes e as vassouras e tirarmos as lamas de nossas vidas,e  tentarmos recuperar o que sobra,dos nossos objetos e de nós mesmos.
E olha que ja apelamos à todos,já fizemos reuniões com os diversos políticos da região e ninguém fez nada.
Moro aqui há quarenta e quatro anos,e convivo com isso todo o tempo.Acho que ganhei "know-how",falo isso brincando,claro!
Sinto que algo mudou em mim,talvez mais forte,menos tensa por isso,mas noto também que não consigo me indignar muito com as coisas.Cansada talvez.
Não tenho mais a energia de outrora para defender uma causa política como fiz com o Mário Covas.Sair àsruas,fazer carreatas,alardear o voto,acreditar!!!É isso,acreditar em políticos.
Hoje assisto meio anestesiada o que acontece em Brasília,o que acontece com o nosso Brasil.
Não escolhi esse Presidente que aí está.
Mas tenho esperanças no próximo,se ele vier de  São Paulo,se for médico,se for Tucano...rrsss e o melhor,discípulo de Mario Covas,rrsss.Será que sou otimista demais?
"Otimista Ingênua"? como dizia o professor Aroldo Rodrigues?
Vejo que ainda tenho sangue nas veias,ainda tenho esperanças,ainda acredito que  o país possa melhorar,em Homens de princípios que trabalhem por nós.
Mas os políticos da minha cidade parecem calmos demais...
A chuva parou.Quase nem choveu,foi só barulho,e o vento levou a agua para bem longe daqui.
Proteção!Sinto a proteção a minha volta.
Abro as janelas,respiro o ar fresco ,da casa vizinha vem um cheiro de bolinho de chuva,aquele comcanela e açucar.Hum,que vontade!
Penso um instante,e vejo que o melhor a fazer é ir para a cozinha e preparar uma bela rosca,bem fermentada,com muitas passas e  creme de cobertura,aquela que saboreada com um café fresquinho derrete na boca.
Mãos à obra!
Por hoje escapei.
Tenho fé que amanhã também escaparei...
Vamos ao lanchinho! rrsss


Syl Signoretti
Enviado por Syl Signoretti em 10/02/2006
Código do texto: T110260

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Syl Signoretti
Itajubá - Minas Gerais - Brasil
933 textos (89324 leituras)
76 áudios (9216 audições)
1 e-livros (309 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 23:01)
Syl Signoretti