Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

C H U C H U

          SECHIUM EDULE! É brabo, não é mesmo? Numa quitanda, ou feira livre, alguém diz ao atendente: pesa meia dúzia de SECHIUM EDULE, que eu quero comprar. Não, não. Vamos ficar com o nosso glorioso chuchu. E observem o que pode vir de contrapeso: planta herbácea, trepadeira (simpático, não), com flores de sexo separados (?), amarelas ou brancas; fruto verde carnoso, comestível, revestido por pequenos espinhos. Família das cucurbináceas. Ah! Agora é demais. Larguei. Cucurbináceas pra riba de moi, não. Isso que nem citei alguns sinônimos, tais como mchucho, caxixe e outros. Pois, do nosso célebre chuchu, neste texto, quero aproveitar apenas a salada. Cozinhado, descascado e cortado em pequenos cubos ou tiras, aí está a salada de chuchu. Não coloquemos tempero na nossa salada. E o que teremos? Nada, absolutamente nada. Salada de chuchu sem tempero é igual a nada. Não tem sabor nem graça.
          Inspirado no chuchu ( se é que chuchu pode servir de inspiração), registro, a seguir, outros dois exemplos de salada de chuchu, ou seja, situações que não têm nenhum sabor ou graça. Entrem no clima e imaginem um irmão dançando com a irmã uma música lenta (canção, bolero, balada, etc.). Ali, no meio do salão, os dois maninhos bem agarradinhos. Não dá! Uma valsa no baile de debutante, ou formatura, vá lá. Mas, lenta não. Não com a mana. É salada de chuchu. Até que com a prima dá prá encarar, tem algum tempero. Mas com a mana não.
          O outro exemplo, para encaminhar o final desta crônica, é o seguinte: bandidos de todas as matizes (ladrões, assaltantes, estupradores, etc.= e apenas para ficarmos na área do cechium edule, denimono-os de chuchus)inquirindo seus pares, ou seja, outros chuchus (bandidos da mesma laia) para que seja formatado um inquérito e posterior julgamento. Parece inimaginável. Mas não o é. Mesmo não tendo graça, sequer sabor de fidelidade ou justiça, tal qual salada de chuchu, existe, sim, essa situação. É bem verdade que num reino de extravagâncias, numa ilha de fantasias. Mas, existe. Apresentam-se não como chuchus, mas como machuchos e caxixes (outros crimes = falsificadores, mensalões, caixa dois, valores não contabilizados, etc.) Ah! E têm um nome pomposo: CPI. Os tais machuchos e caxixes da fantasiosa ilha diferem-se dos chuchus porque alguns deles não têm crimes. Poucos, é verdade, mas assim o é. Entretanto, a maior ingratidão, que seria até uma calúnia, é dizer-se (eu já o fiz e penitencio-me)que as tais CPIs terminam em pizza. Impossível! Pizzas têm sabores, e bem definidos: à portuguesa, à calabresa, quatro queijos, etc. Súditos da ilha bem o sabem: CPI é salada de chuchu. Não tem graça nem sabor. Não é nada.
Cláudio Pinto de Sá
Enviado por Cláudio Pinto de Sá em 27/02/2006
Código do texto: T116851
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cláudio Pinto de Sá
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
163 textos (23329 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 00:59)
Cláudio Pinto de Sá