Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O DESGASTE DE UM AMOR


O tempo, a rotina... por vezes podem ser fatais...

O DESGASTE DE UM AMOR
Marcial Salaverry
 
Um relacionamento para ter vida longa exige uma grande adaptação entre os parceiros, sendo imprescindível uma mútua aceitação entre ambos, com suas virtudes e defeitos. Sempre será necessário um bom entendimento entre ambos, para que eventuais arestas sejam aparadas, e isso se consegue com um diálogo sempre franco e honesto entre ambos, para que possa ser formada uma parceria perfeita, ou pelo menos quase.
Existem contudo diversos pontos de desgaste, que se não forem corrigidos a tempo, poderão ir minando os alicerces dessa união. São pequenas coisas que acabam crescendo. Pequenos desentendimentos que, se não forem observados a tempo, provocam o fim de algo que poderia ser bonito.
Brigas constantes, provocadas por ciúme, ou por desejos insatisfeitos, começam uma operação desmonte, pois nessas discussões geralmente diz-se algo que não deve ser dito, que pode causar mágoas, de difícil esquecimento, provocando um princípio do fim de um amor.
Nem sempre o adeus entre esses parceiros virá rapidamente, pois quando o amor existe, quando os parceiros sentem haver um sentimento forte entre ambos, fatalmente esse desgaste ocorrerá de uma maneira gradual, provocando um esfriamento inicial, e se as diferenças não forem acertadas a tempo, causará mesmo o fim do relacionamento.
Quando esses sinais forem detectados a tempo, será necessário que se busque um diálogo para o entendimento entre ambos, sendo importante que se encontre o porque dessas discussões constantes, para que tudo possa ser acertado.
É elementar que, se soubermos o que tanto incomoda nossa parceria, precisaremos mudar nossa linha de conduta, será necessário mesmo acertar as diferenças, isso se desejarmos realmente conter a marcha para a implosão total do amor.
É nesse ponto que o fator mais importante a ser considerado, evidentemente será buscar o ponto de equilíbrio, que evite o adeus que vem se desenhando. Será necessário esquecer orgulho, vaidade, ciúme, em benefício da sobrevivência do amor que ainda existe.
E, chegando-se a essa conclusão, sempre valerá a pena fazer concessões mútuas para dirimir as dúvidas, levando o adeus para longe, e trazendo o bem viver comum.
Convenhamos que não é fácil manter um amor, pois são duas cabeças pensando de maneira diferente. São pessoas que encaram a vida de uma maneira diferente, tornando imprescindível para um bom entendimento que haja algumas concessões, de parte a parte, desde que ambos percebam que vale a pena manter esse amor, apesar de um esfriamento natural, provocado pelos desentendimentos ocorridos, mas que poderá ser reaquecido se houver ponderação de parte a parte.
Esquecendo mágoas, mudando linha de conduta, as coisas poderão retomar um bom caminho, e esse adeus gradual será bloqueado, proporcionando um final feliz para algo que estava caminhando para o fim.
Ficando assim a certeza de UM LINDO DIA.
 
 
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 04/03/2006
Código do texto: T118591
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19847 textos (1962159 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:16)
Marcial Salaverry