Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UMA FESTA DIFERENTE

UMA FESTA DIFERENTE

Ninguém sabia quem segurava quem.
Ombros encostados um no outro formavam um “V” de cabeça pra baixo. No mínimo, meia dúzia de cervejas e alguns goles de pinga na cabeça de cada um. E lá iam os dois descida abaixo. Viram um movimento numa das casas. Pararam.
- Deve ser festa, comentou um deles. Vamos entrar. Estamos nessa!
E entraram. Línguas meio enroladas, mas deu para sair o “alô”. Aqui e ali cumprimentaram a todos. Eram educados. Uns dois ou três tomavam café. Coisa esquisita, pensou um deles: café em festa boa! Outros bebericavam uma pinguinha. Se era das boas, pouco importava. Naquele momento a preferência era encharcar mais um pouquinho. Aceitaram a pinguinha. Desceu. Não devia ser das piores. De conversa em conversa, língua enrolada, descia mais uma. E mais outra!
Estava na hora, embora a festa estivesse boa, tinham que seguir adiante. E partiram pela noite adentro, pelas ruas e bairros. Afinal, a noite era longa...
No dia seguinte, a “ressaca”. Essa mesma, com direito a dor de cabeça! Com aquele jeitinho mineiro e umas ervas do campo, a dita cuja foi curada.
Papo gostoso. E papeando foram relembrando fatos da noite anterior: de tudo um pouquinho, surgia na mente de cada um como um “quebra-cabeças”.
- Ah! Não se esqueça de que estivemos Já naquela festa. Um festão! Devemos agradecer pela boa acolhida que tivemos, comentou um deles.
Perguntaram a amigos quem era o dono da festa. Explicaram direitinho, sem erro, onde ficava a casa.
A resposta foi fulminante. Não tinham participado de uma festa. Mas sim de um velório!
Karuk
Enviado por Karuk em 19/03/2006
Código do texto: T125428
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Karuk
São João Del Rei - Minas Gerais - Brasil, 76 anos
300 textos (31526 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 22:03)
Karuk