Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quem salva uma vida, salva o mundo inteiro

O Talmud (cuja palavra em hebraico significa “estudo” ou “aprendizado”) é considerado a genuína interpretação da Torá (o mandamento judaico fundamental é “Talmud Torá – estudar a Torá” e a raiz hebraica de Torá é “horaá – ensinamento”).  Não por acaso, sempre que se quis, no curso da história, em diferentes países e períodos, cercear a religião de Jesus (Yeshouah era judeu, lembremos); se começava por proibir o estudo do Talmud e, a seguir, queimar essa grandiosa obra em praça pública.
Além de ser o livro da legislação judaica, também é uma enciclopédia e uma enorme obra de sabedoria, sem precedentes na história da humanidade.
O propósito sublime do Talmud é “a busca da verdade”. O Talmud tem dois componentes principais: a Mishná (que trata da Lei Judaica) e a Guemará (que aborda comentários da Mishná).
Já que lembramos anteriormente nesse texto o fato de Jesus ser judeu, aproveitamos para citar alguns dos muitos paralelos entre os ensinamentos de Yeshouah e os da Escola do Hillel (Rabino que viveu um pouco antes de Jesus) presentes no Talmud (há um livro teológico-católico interessantíssimo, que se chama “Jesus – um Judeu Marginal”). Da Escola de Hillel, num exemplo, temos “Aquele que é misericordioso para com os outros receberá misericórdia do Céu” [Talmud – Shabat 151b], enquanto que Jesus disse: “Benditos os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia” [Mt 5,7].  Num outro exemplo, da Escola de Hillel temos: “Não faça aos outros o que não deseja que façam a você: esta é toda a Torá, enquanto o resto é comentário disto; vai e aprende isto” [Talmud - b.Shab. 31a], enquanto que Yeshoua afirma: “Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a Torá e os profetas” [Mt 7, 12].
Jesus disse: “Que vale ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” [Mt 16,2] e completou “Que daria o homem em troca de sua alma?”. Com isso mostra que não há no mundo algo que se compare em valor a uma vida humana (nem o mundo todo). O Talmud (Mishnah Sanhedrin) diz que “Aquele que salvou uma vida, salvou o mundo inteiro” ou, mais especificamente, “Quem quer que destrua a vida de um único ser humano... é como se ele tivesse destruído o mundo inteiro; e quem quer que preserve a vida de um único ser humano... é como se ele tivesse preservado o mundo inteiro”.
É irônico, para ser brando, entretanto, que muitas pessoas utilizem essa citação mas não têm respeito pelo seu significado. Talvez fosse importante acrescentar outra, do próprio Talmud: “"Dão-se conselhos, mas não se dá a sabedoria de os aproveitar", ou seja, é necessária reflexão para o entendimento e, refletir, muitas das vezes pode não ser trabalho apreciado . Derivada do texto talmúdico, a frase “Quem salva uma vida, salva o mundo inteiro”, citada no famoso filme de Spielberg, “A lista de Schindler” está desde então em voga. A ironia se dá no fato de que algumas pessoas que procuram “destruir uma vida”, seja por ação direta, ou por ação indireta, como o menosprezo, como também nem reconhecem que tiveram suas vidas salvas, de uma maneira ou de outra, expõem a citação como se soubessem (entendessem seu significado profundo) colocá-las em prática. Isso nos faz lembrar o Juízo Final, onde o Justo Juiz fará a separação entre os que prezam a vida de Jesus nos outros e os injustos que desprezam o mesmo Jesus na vida dos mais necessitados (os estranhos que precisam ser acolhidos, os enfermos que precisam ser visitados, os encarcerados [ademais os isolados por preconceitos, maledicências, etc], os que têm fome e sede de justiça, etc). “Mas isso é uma outra história, que fica para outra vez”...

“Quando os mais moços se consideram com mais juízo e de melhor conselho que os mais velhos, tudo vai perdido e os males não têm remédio.” -  Marquês de Maricá


________

(Copyright © 2008 A.José C.Coelho. Todos os direitos reservados.)
Joseph Shafan
Enviado por Joseph Shafan em 24/11/2008
Reeditado em 24/11/2008
Código do texto: T1300166
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joseph Shafan
São Sebastião - São Paulo - Brasil, 60 anos
770 textos (87311 leituras)
25 e-livros (9888 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 05:47)
Joseph Shafan



Rádio Poética