Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PETROPOLIS - O passada presente



Petrópolis...
Uma cidade do presente, que nos traz o passado de volta...

PETRÓPOLIS... o passado presente
Marcial Salaverry

Conhecer Petrópolis, é ganhar de presente um presente vindo do passado.
Realmente, sentimo-nos vivendo na época do Império, ao mesmo tempo em que tínhamos os sinais do presente bem presentes à nossa frente.
Mas, vamos por partes. Até chegarmos à Serra da Estrela, a estrada em nada lembrava o passado distante. Porém, a sinuosidade da estrada que nos leva ao alto da serra, em tudo fazia lembrar o antigo caminho das carruagens, quando as estradas respeitavam o traçado do morro, sem os enormes túneis que nos são oferecidos pela tecnologia moderna.
Enfim, apreciando o deslumbrante panorama que se oferecia a nossos olhos, podíamos imaginar os cavaleiros d´antanho cavalgando pelos caminhos, levando as novas da Corte à Província. E as carruagens levando os nobres para as suntuosas casas de veraneio.
Há que se louvar o cuidado que se toma com a preservação, não só da estrada, como também da cidade. O famoso Condephaat, como os condes e demais nobres da época, leva a peito o projeto de preservação da cidade, principalmente da chamada área nobre. Nada se derruba, nada se mexe, nada se reforma. Apenas se restaura, conservando-se a estrutura original.
Assim, lá estão as mansões de veraneio dos poderosos da época, ainda intocadas. Algumas transformaas em escolas, outras em firmas comerciais, outras em hotéis e pousadas, mas a estrutura original, "imexivel"...
Chega a causar espanto como, dentro da tecnologia da época, construía-se mansões como aquelas. E que se dizer da Catedral de Petrópolis? Difícil de descrever. Quem a conhece, sabe disso. É preciso ver para crer, tal é a beleza de seus vitrais, tal a arte de seus detalhes. Sinceramente é difícil para descrever, tanto a Catedral, como o Museu Imperial. Este, um magnífico monumento. Visitá-lo, é se deslumbrar com aquela época, seus usos e costumes. Os móveis do tempo do Império lá estão... As roupas usadas, também... A qualquer momento poderiamos ouvir os valetes anunciando a chegada de alguim nobre...
É realmente um maravilhoso mergulho no passado.
Desligamo-nos da época atual, e simplesmente nos sentimos parte integrante de um passado glorioso.
Não é preciso muito esforço para se situar na época colonial, tão vivamente conservadas estão as marcas do passado. Fechando os olhos, podemos apreciar o movimento dos nobres da época, e ouvir o frufru dos vestidos das damas da Corte.
Os móveis da época, incrivelmente bem conservados. Louve-se a administração do Museu, pelos cuidados que toma.
Na visita à casa de Santos Dumont, pudemos apreciar o gênio da criatividade de nosso querido Pai da Aviação. Sua casa é toda ela um monumento ao seu gênio inventivo. A começar pela escada. Fosse ela uma escada convencional, e seria impossível por ela subir, pela exiguidade de espaço existente entre os degraus. Então, nosso gênio bolou um recorte nos degraus que, inclusive obriga as pessoas a iniciar a subida com o pé direito. Descrever é complicado. É só ir lá conferir. Sua cama então, é o máximo de criatividade e aproveitamento de espaço. Durante o dia, mesa de trabalho, à noite, confortável leito. Coisa de gênio mesmo.
Prefiro não falar dos detalhes modernos, como a Rua Teresa, um paraíso para consumistas, para falar da fantástica beleza que é o Espetáculo de Luz e Som, apresentado às sextas e sábados a noite nos jardins do Museu Imperial. O espetáculo de luz, sombra e som, utilizando a cortina d'água do chafariz central, é de uma beleza fora do normal.
A melhor maneira para descrever esse impressionante espetáculo, é dizer que ele é indescritível. Os dicionários ainda não apresentam palavras que possam descreve-lo. Então, apenas posso sugerir que façam um passeio até a Petrópolis, para um maravilhoso fim de semana e confiram. Depois, tentem descrever. De uma jovem, escutei uma definição definitiva : "Pô meu...mó maravilha...adrenante." É isso ai...Esse "Pô meu..." é o máximo que se pode dizer...
E, crianças, Petrópolis é isso aí... Um passado que podemos ter de presente no presente.
Basta ir lá, sentir as maravilhas que não apenas a volta ao passado nos oferece, como também a belíssima Natureza que o Amigão deixa à nossa disposição... Basta que saibamos apreciá-la e conservá-la.
E isso, sem falar nos deliciosos biscoitos que são vendidos em barraquinhas nas ruas... Uma especialidade das biscoiteiras de Petrópolis... De dar água na boca...
Depois de um final de semana assim, claro que é fácil ter um LINDO DIA.






 
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 29/03/2006
Código do texto: T130351
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19836 textos (1961162 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 20:37)
Marcial Salaverry