Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O retrato do ciúme 
Vincent Benedicto


Um pouco de ciúmes não faz mal a ninguém! É o que afirmam alguns psicólogos, que uma pitadinha de ciúmes, é como uma pitadinha de tempero numa boa comida tornando-a interessante. Todos nós já sentimos ciúmes. O ciúme – segundo eles – os psicólogos – serve como um sensor, uma medida da segurança que se sente na relação. Sua ausência, tanto quanto seu excesso, pode prejudicar o relacionamento.
Quando o ciúme se torna excessivo, ao invés de fazer bem ao relacionamento, acaba tendo o efeito oposto, muitas vezes afastando o companheiro(a). Na ânsia de não perder a pessoa amada, o ciumento cerceia seus passos e sua liberdade de tal modo, invadindo seu espaço pessoal e sua privacidade, ferindo seus sentimentos com acusações infundadas, que afrouxa os laços que os uniam. O controle que o ciumento tenta impingir ao seu parceiro, vai sufocando a vítima do ciúme, que se afasta cada vez mais para poder respirar. Seus atos, suas amizades, seu trabalho, seus pensamentos, suas fantasias e lembranças, tudo parece ameaçar a segurança do ciumento. O ciúme doentio faz com que sua vítima se sinta cada vez mais ressentida com a falta de confiança do companheiro em seu comprometimento para com ele.
De modo geral, o ciúme muito intenso é sinal de dificuldades emocionais. A desvalorização de si mesmo, a baixa estima, é uma das causas importantes do ciúme intenso. Pessoas seguras de si, de seu valor, costumam lidar bem com seus sentimentos de ciúmes, não se deixando levar por eles e até fazendo com que revertam em proveito do próprio relacionamento. A segurança contra a competição é a grande arma destas pessoas. O medo da intimidade também pode ser uma das causas do ciúme em demasia, que é utilizado neste caso para distanciar o parceiro. Outro fator que pode levar à desconfiança e ao ciúme descontrolado, é a mudança no comportamento do parceiro, que pode ser interpretada pelo companheiro como sinal de traição. A diminuição da freqüência sexual entre o relacionamento é um dos principais motivos. O aumento do rol de interesses e interações sociais de um parceiro que – parecia sobre controle – também. Um fator importante em todos os casos de ciúmes demasiado é a prevalência da fantasia em detrimento da realidade, que alimenta esta emoção. Pensamentos e/ou imagens distorcidos aumentam o ciúmes, o que leva a novos pensamentos e/ou imagens distorcidos, em um círculo vicioso. (esta é a explicação “freudlacaniana” para o ciúme).
Eu particularmente acho que ciúme é coisa de quem não tem uma personalidade sólida, não acredita em si próprio, quanto mais no parceiro. Quem ama uma pessoa, a ama como ela é! O amor é tolerante, é cego, é afeto, é carinho! O amor se sente na alma! Por isso não acredito em amor no relacionamento entre duas pessoas que não sejam do mesmo sangue. Acredito sim, numa forte paixão, um desejo sedento de estar junto daquela pessoa, e como diria o nosso poeta Vinicius de Moraes, “que seja infinito enquanto dure!”.
Quem tem ciúme, tem sentimento de posse, de propriedade, como se tivesse adquirido um bem material e se sente o dono daquilo. Nas minhas palestras sempre digo que a individualidade de cada um é intocável.
Conta uma lenda dos índios sioux que, certa vez, Touro Bravo e Nuvem Azul chegaram de mãos dadas à tenda do velho feiticeiro da tribo e pediram:
Nós nos amamos e vamos nos casar. Mas nos amamos tanto que queremos um conselho que nos garanta ficar juntos pra sempre, que nos assegure estar um ao lado do outro até que a morte nos separe.
Há algo que possamos fazer?
O velho emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse o seguinte:
Há o que possa ser feito, ainda que sejam tarefas muito difíceis.
Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte da aldeia apenas com uma rede, caçar o falcão mais vigoroso e trazê-lo aqui, com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia.
E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono e lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias.
Somente com uma rede deverás apanhá-la, trazendo-a para mim viva!
Os jovens se abraçaram com ternura e logo partiram para cumprir a missão.
No dia estabelecido, na frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves.
O velho tirou-as dos sacos e constatou que eram verdadeiramente formosos exemplares dos animais que ele tinha pedido.
E agora, o que faremos? Os jovens perguntaram.
- Peguem as aves e amarrem uma à outra pelos pés com essas fitas de couro. Quando estiverem amarradas, soltem-nas para que voem livres.
Eles fizeram o que lhes foi ordenado e soltaram os pássaros.
A águia e o falcão tentaram voar, mas conseguiram apenas saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela impossibilidade do vôo, as aves arremessaram-se uma contra a outra, bicando-se até se machucar.
Então o velho feiticeiro disse:
Jamais esqueçam do que estão vendo, esse é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão. Se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se, como também, cedo ou tarde, começarão a machucar um ao outro.
Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados. Libere a pessoa que você ama para que ela possa voar com as próprias asas.
Embora esta seja uma lenda, retrata a mais pura verdade sobre o relacionamento entre homem e mulher.

Para finalizar, veja a que conseqüência chegou um ciumento.

"O criador de um software desenvolvido especialmente para internautas ciumentos, pode ser condenado a 175 anos de prisão nos EUA. O programador Carlos Enrique Perez Melara, 25 anos, e quatro pessoas que compraram o software, foram indiciadas por violar leis federais relacionadas à privacidade.
O programa Loverspy, foi desenvolvido para que os ciumentos controlassem as atividades virtuais de seus amados.
Para instalar o código espião no micro das vítimas, os "apaixonados" mandavam um cartão virtual com flores e bichinhos animados. Quando seus "amados" abriam a mensagem, faziam um download involuntário no micro e passavam a ser monitorados.
Todas as informações da navegação eram enviadas a Perez Melara e, então, repassadas para seus clientes. O responsável pelo código responderá por 35 tipos de crime – entre eles – desenvolvimento, envio e divulgação de um programa que dava acesso não-autorizado a informações.
Quatro pessoas que compraram o software e o venderam na internet por US$ 89 podem pegar cinco anos de prisão e pagar multas de US$ 250 mil.
De acordo com autoridades norte-americanas, que não divulgaram a data do julgamento de Perez Melara, cerca de 1.000 cópias do programa foram vendidas em todo o mundo."

E você... tem ciúme?
Vincent Benedicto
Enviado por Vincent Benedicto em 31/03/2006
Reeditado em 31/03/2006
Código do texto: T131345
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vincent Benedicto
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
477 textos (144386 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 14:48)
Vincent Benedicto