Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Alameda da Poesia

   para a Lenise Resende

Eu jamais passaria nessa alameda - árvores centenárias, cimento centenário? - sem me curvar a ela. Sem deixar ali pousado entre os seus sacrários, um passo em falso, misto de arroubo e de indagação. Seria de arribação? E o meu maior desejo mesmo que nisso eu nem pensasse, seria transfigurá-la em curvas de todas as curvaturas para, quem sabe, dolorir-me de diferentes formas a cada descortinar que ela me oferecesse. Não, eu jamais passaria nessa alameda. Ando por ela, não nego, mas eis que quem me perspassa e ela. Fica o perfume dos laços de vento que lhe enfeita os cabelos, como um deus que eu apenas divisasse.

Cissa de Oliveira
Cissa de Oliveira
Enviado por Cissa de Oliveira em 26/04/2005
Reeditado em 05/11/2006
Código do texto: T13183
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cissa de Oliveira
Campinas - São Paulo - Brasil
140 textos (28489 leituras)
10 áudios (1446 audições)
1 e-livros (909 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:19)
Cissa de Oliveira