Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

         Um passarim franciscano

  
          1. Querem saber de uma coisa? Gosto muito de passarins. Quando eu era jovem, criei canoros pintassilgos, sabiás legítimos, curiós fogosos, canários da terra, canários belgas, graúnas, e majestosos galos de campina, os nossos coloridos cardeais.
          2. Fazia tudo para que meus passarinhos não se sentissem em cativeiro. Hospedava-os em ótimas gaiolas, e lhes dava o melhor alpiste. 
          3. Mostrando-se satisfeitos, eles alegravam meus dias, com prolongados gorjeios. Quando todos cantavam ao mesmo tempo, eu tinha em minha casa uma orquestra maravilhosa.
          4. Meu último sabiá não escolhia hora para chilrear. Surpreendia-me, na alta madrugada, com seu canto estridente e triste. Um lamento? Eu o acariciava, chamando-o de seresteiro.
          5. Uma manhã, quando lhe oferecia pedaços de uma manga doce, esqueci de fechar a gaiola, e ele fugiu. Oh! Quase morri...
          6. Mas o que eu quero dizer é que, com toda esta intimidade com os passarinhos, eu ainda não conheço a cotovia. Sei que ele é um pássaro marrom com um topete semelhante a um capuz franciscano.
          7. Diz a lenda, que São Francisco de Assis, meu amigo e protetor, não escondia seu amor pelas cotovias. Gostava de ouvi-las quando, ao cair da tarde, elas vinham pousar nos beirais da igrejinha da Porciúncula, que conheci, quando visitei Assis, a linda terra do Poverello.
          8. Companheiros de hábito do santo seráfico, descrevendo-lhe os últimos momentos de vida, revelaram que "muitos pássaros, chamados cotovias, esvoaçavam por sobre o teto da cabana onde ele jazia, fazendo círculos e cantando".
          9. Não perco a esperança de conhecer este passarim franciscano. 
          Qualquer dia desses haverei de flagrá-lo cantando nos galhos de um pau-d´arco; ou fazendo um ninho na torre de uma igrejinha sertaneja. 
 
          10. Se isso não acontecer, o passarinheiro, autor desta simplória crônica franciscana -  podem acreditar - morrerá frustrado...
Felipe Jucá
Enviado por Felipe Jucá em 01/04/2006
Reeditado em 21/07/2016
Código do texto: T131995
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Felipe Jucá
Salvador - Bahia - Brasil
636 textos (171186 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:54)
Felipe Jucá

Site do Escritor