Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amigo Caipira IV

  “Ai qui sodade da Amélia, Amélia qui era muié de verdade” . . .  Me lembra uma frase do presidente Figueiredo: “Vocês vão sentir saudade da Velha República”. Não é saudosismo, apenas uma pequena comparação. Ah! Ah! Ah!

Meu amigo e irmão sinhô prisidente Fernando Viajando Henrique Caipira Cardoso, do jeito qui a coisa vai (caminha), tá ficano cada veiz pió pra todos nóis caipiras aqui de baixo, num sabe. Vosmicê tem aprontado tanta bestagem pra cima dessa caipirada boa, num é mesmo. Pro mode qui vosmicê faz tanta mardade pra nóis ? Oia sinhô prisidente, eu inté qui andei pensano qui nóis somos mesmo curpado pur tudo isso, pudia sê diferente se nóis num tivesse votado em vosmicê, agora fazê o quê ?
Ah! Me disseram qui vosmicê gosta de piadas, eu e a caiprada inté qui acriditamos pois, seu governo é uma piada . . .  Ah! Ah! Ah!  Mais falano em piadas, manja essa:  “Qual a diferença da  “caixa-dágua pelos caipira que fazem parte do seu famigerado governo ? Ah! Voismicê num sabe ou continua a fazê de conta qui num sabe ou num qué vê  ? . . . Bem, num importa muito não, sabe cumé qui é: __ a diferença é que a caixa-d’água só tem um ladrão,  ah! ah! ah!
Pur falá nisso, essa piada me feiz lembrá da CPI da Corrupção. Onde istá, gato comeu, gato comeu. Essa é  boa, me disculpi – exagerei um pouco, um pouquinho só, mas tá de bom tamanho num é mesmo meu amigo e irmão sinhô prisidente? Purque voismicê corre tanto dessa CPI? Existe pur ai (em Brasília) uns caipiras bem gordinhos qui istão sempre ao redor de vosmicê e qui são bem protegidos, purque será? Tem um tar de Eduardo Jorge – esse intão! . . .  Dá inté pra disconfiá né sinhô prisidente! E o juiz Lalau como vai? É, também num pricisa pensá muito pra intendê qui voismicê tá atolado inté os dentes. (acho qui tô ficano um bom contadô de histórias). Essa da CPI, pur ixemplo me lembrá aquela história do  “Ali Babá e os quarenta . . .  E ainda tem aquela propaganda do Denorex qui diz: “parece mas não . . .  mais qui parece, parece – e oia qui pode sê.
Tem um tar de promotô Luiz Francisco de Souza qui quis botá a boca no trombone mais sumiu ou (sumiram ele). Parecia sê um caipira dos bão. No intanto, penso cá com meus butões (os da camisa),  “Ali Babá é mais forte”. Mesmo assim, sinhô promotô, vorta à tona, lute, mostre qui vosmicê também é forte ou pelo menos é sério, íntegro.
Ah! Ainda tem o cacique maió, aquele qui andou mandano na tribo (caipiras) dessa Nação tão grande e bonita, mais qui tá ficano feia e suja de tanta lama qui istão jogano nela.  Voismicê num se lembra mais dele não, sinhô prisidente ? É o tar de ACM, cacique brabo sôo, lá da Bahia. É, é ele mesmo. Eu falo, falo mais acabo vortano ao ponto de partida, tenho qui intendê qui voismicê é mesmo mais forte e sabe muito bem como manipular a caipirada ai de Brasília. Voismicê feiz com qui o ACM dispencasse do palanque por duas veiz, uma no Senado e outra num palanque lá na Bahia. Eta prisidente porreta sôo. É, mais num cante de galo não sinhô, purque esse ACM é mais brabo qui se possa imaginar e ele disse qui vai vortá. Acho qui ele tem trunfos escondidos na manga. Abra o zói (olho) sinhô prisidente. Num pudia isquecê de falá de outro caipira ai de cima;  um tar de José Roberto Arruda qui introu de gaiato e acabou levano uma grande . . . e de bonzinho se transformou em vilão.
Meu Deus! Sôo mesmo um caipira meio lerdo, tem tantas coisas pra falá qui tava inté me isquiceno da maió de todas, isso pur causa  do momento pulítico qui tá viveno essa nossa Nação caipira (de caipiras), mais qui é muito amada. Disculpi, tava isquiceno de falá do home forte do Senado, um tar de Jader Barbalho qui se dizia honestino, oia só onde foi pará (Estado do Pará). Qui vergonha sinhô Jader Banpará. São tantas “emoções” ou mió, tanta bestagem qui quase não dá pra falá, mais num pudia passá batido. No caso do sinhô Jader Banpará, disculpi, é Barbalho (abatido feito gado no abatedouro), ah! ah! ah! Essa é a vida né mesmo sinhô prisidente, são seus amigos caipiras mais chegados. Tem também os TDAs (Títulos da Dívida Agrária), as propinas no causo Sudam. Esse Jader Banpará é dimais. Eta povinho (caipira lá de cima-Brasília) porreta sôo ! .
Inquanto isso, voismicê continua fazeno suas viages, gastano nosso dinheirinho tão sufrido. Sufrido sim, purque voismicê num sabe o quanto é difícil ganhar esse danadinho, e oia qui temos qui trabaiá inté num guentá mais, inté quase morrê. Voismicê conhece aquela piada do caipira qui era tão, mais tão cara de pau qui nem cupim o danadinho não dava, é isso mesmo, ah! Ah! Ah!
Tá aconteceno tantas coisas istranhas  num sabe, são coisas qui num se via pur aqui há muito tempo.  Vorto a dizer, com permissão do meu amigo e irmão camarada – Roberto Carlos -  “São Tantas Emoções”, esse sim, sabe tudo. Assim, faço minhas essas palavras, porém, da forma qui se segue:  “São Tantas Renúncias”, mais ainda tá fartano pelo menos uma e voismicê qui é muito, muito intiligente conseguirá advinhar?
. . . Quando será? O dia da nossa sorte.  Quando será? Quando será? . . .



14/08/01
Wilcaro Pastor
Enviado por Wilcaro Pastor em 18/04/2006
Código do texto: T140819
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wilcaro Pastor
Coronel Fabriciano - Minas Gerais - Brasil, 65 anos
489 textos (37612 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:04)
Wilcaro Pastor