Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Telemar, Nunca Mais !

TELEMAR, NUNCA MAIS ! ( CRÔNICA)

Um dia destes, cabisbaixo de espiritualidade, mas radiante pelo sol que bordava lá fora, resolvi suspender uma linha telefônica,junto à Telemar, que não me fazia mais falta, mas me onerava dispêndios já altos.

Precisamente às 7h30 entrei no circuito que, a princípio, seria bem simples. Era só pedir: poderia me cortar a linha número tal, que de serventia só me dava despesa. Simples.

Seria simples se não fosse complicado. Talvez em outro pais a coisa funcionasse. Não sei de outras companhias telefônicas espalhadas pelo Brasil como a coisa funciona. Mas com a Telemar a coisa se complica.

Às 7h30 entrei num número 0800. Um computador com voz de mulher atendeu minha chamada e me começou a descrever o menu de opções.

"Digite o código de sua cidade mais o número do telefone". Mas o meu número de telefone era um código que a mulher-computadora não entendia.

Depois de várias tentativas a coisa se desarmou e
me jogaram direto para uma atendente.Feliz da vida,estava sendo atendido!

A recepcionista-padrão me perguntou em que poderia ajudar. Eu descrevi o problema: quero supender a linha 089876-Código 087643.

- Mas isso não existe! - bradou ela.
- Existe sim. É uma linha LPPPxcvb.
- Linha o quê?
- Linha de transmissão de dados - disse eu.
- Que espécie de linha é essa, senhor?
- Ela é mais conhecida como LP - simplifiquei eu.
- Ah! Linha LP !
- Isso, uma raio de alegria de cortou.
- Senhor - disse ela. Aqui,neste setor, não fazemos este tipo serviço. O sr. terá que tocar para outro número: 0800-31-31-31-0800.
- E lá eles resolvem ?- perguntei desanimado.
- É só lá. Mais alguma coisa senhor?
- Não. Obrigado, vou tocar prá lá.

Toquei para o tal número. Veio a sinuosa voz metálica da mulher-computadora. Meu deu um menu com mais 10 opções. Nenhuma encaixava no meu problema. Deixei tudo vazio e esperei acontecer alguma coisa. Aconteceu. Fui remetido para uma outra central.

- Em que posso serví-lo, senhor?
-É o seguinte - disse eu retomando as forças - é da Telemar que está falando, não é?
- Lógico, senhor - retrucou a voz que parecia surgir de alguma caverna esquecida pelo tempo. Em que possso ajudá-lo,senhor?
- É o seguinte: tenho uma linha LP, de transmissão de dados e queria que vocês suspendessem, cortassem, desativassem, fizessem qualquer coisa para tirá-la do ar e que eu não tenha mais de pagar a conta no final do mês.
- O sr. têm linha de quê? - Bizou a voz.

E foi quase dez minutos explicando a ela o mesmo problema. Mas não era ali que seria resolvido.

- Toque para 0800-23-56-23-31! Em que posso ajudá-lo mais,senhor?

- Oito e quinze da manhã. Tinham passado 45 minutos, dois telefonemas e nada. Meu ouvido doia.

Toquei para o número que ela pediu.Outro menu de opções. Nada se encaixava no meu problema. Fiz a mesma coisa e durante três vezes o computador insistiu que eu desse o número do telefone. Eu dava o código da linha e o computador da Telemar não aceitava. Fiquei novamente como caçador atrás da presa. Fiquei em silêncio e depois de um minuto fui transferido para outra atendente.

- Bom dia, senhor, Kátia falando, em que posso ajudá-lo?
- É o seguinte......e expliquei tudo.
- Mas linha de quê? - perguntou ela no final.
- Linha LP. LP! - bradei.
- Ah! Linha de comunicação de dados !
- Isso! Estava rejubilante.Ela entendeu! E quase beijei minha mulher que estava ao lado, acompanhando meu drama.

- Sr. - veio ela - o sr. tocou o número errado. Aqui é um setor de vendas de telefones e não suspensão de telefones. O sr. terá que tocar para outro número da Telemar que é 0800-31-31-0800.
- Mas eu acabei de vir de lá agora e me mandaram tocar prá ai.
- Informação errada, sr. Terá que discar novamente.

Nove da manhã. Sentia um ligeiro tremor nas mãos e pedi a minha mulher que me trouxesse um Valium.

Toquei novamente para lá e a novela prosseguiu. Menu de opções. O computador da Telemar não entendia. Fiz a mesma coisa. Esperei e me transferiram para outra atendente.

- Bom dia, senhor, em que posso ajudá-lo.
- Expliquei tudo novamente.
- Linha LP? - perguntou ela indecisa.
- É - disse eu - linha em que a gente não fala,é uma linha especial.Só faz ruído. Assim: zuuuuuuuumm..
- Mas senhor, nós neste setor não tratamos disse. O sr. terá que tocar 0800-87-98-31.
- Mas eu vim de lá agora e me mandaram para ai.
- Não é possível atendê-lo,senhor. Terá que retornar a ligação.

Retornei, mesmo drama. Não era lá. era outro 0800. Toquei de novo. Veio outro menu de opções, a mulher-computadora,continuava imbatível em sua frieza. Nove e meia da manhã. Meu ouvido zunia.

Recebi a mesma resposta. Teria que ligar para 0800-90-31-31-31.
Toquei, já esgotado e desanimado da vida.
Quem atendeu agora foi um rapaz - isso depois de passar por um interminável menu de opções.

- Bom dia, senhor, em que posso ajudá-lo.
- Expliquei tudo novamente, já trocando as palavras de cansaço e por me sentir infeliz de ser brasileiro ou ser infeliz ter que lidar com um companhia que eu não sei se era brasileira ou estrangeira.

- Infelizmente não é aqui, não.
- Mas - disse eu evitando as lágrimas - Meu bom homem me ajude pelo amor de Deus. Eu não sou cobrador, não quero dinheiro da Telemar, eu só quero suspender,desativar,cortar,desalinhavar uma linha LP!

- Ah! Linha LP é outro telefone.
- Outro telefone ...
- Tem 0800 no meio? - perguntei eu já entristecido.
- Não, o sr. toque para 123 e lá será atendido.
- Pode repetir o número por favor, disse eu meio tonto.
- 123, senhor!
- Então - disse - basta tocar 123 e eu vou ser atendido?
- Issso senhor, nós estamos aqui para servir ! - falou ele orgulhoso.
- Só prá confirmar: o número é: 123.
- Isso senhor: 123. Posso serví-lo em mais alguma coisa?

Toquei para 123. Não tinha menu de opções. Uma telefonista atendeu:
- Bom dia senhor, Carla às suas ordens.
- Eu queria desativar, tirar fora, me livrar dela, cortar, fazer qualquer coisa para que a linha páre de funcionar.
- Qual o número da linha?
- Eu disse o número.
- Com quem estou falando, prá confirmar?
- Antônio Cabral Netto.
- Seu CPF:
- Eu disse o CPF.
- O RG, senhor?
- Eu disse o RG.
- Qual sua rua senhor.
- Minha amiga, se a sra. já tem tudo isso na tela do computador prá que está perguntando tudo de novo? Não basta o CPF e o nome?
- São normas, senhor.
- Sim, sim, disse eu, prossiga, por favor...
- Idade? Data de nascimento. Nome da mulher, dos filhos.
- Pronto, senhor, agora o sr. terá que aguardar - falou ela indiferente.
- Eu perguntei: Aguardar o quê?
- Alguém da Telemar vai entrar em contato com o sr. para confirmar os dados.
- Mas os dados estão confirmados - esbravejei eu -
- Eu sei, senhor, mas terá que aguardar um contato para confirmação de seu pedido.
- Mas eu confirmo duas, três vez, quantas vezes o sra. quiser.Juro! Tá confirmado Tá confirmado. Desliga a linha, pelo amor de Deus, corta, tira fora.É só o que quero!
- Não posso senhor. São ordens. Aguarde um novo contato para confirmação de dados.
- Mas eu não quero confirmar mais nada. Não quero ver ninguém da Telemar.
- Ordens são ordens. Aguarde de 24 a 48h.
- Eu ainda vou ter que aguardar...
- Sim senhor, são normas da companhia.

Dez e meia da manhã. estava estressado, esgotado e nervoso. Comecei a dizer coisas sem sentido, minha vista escurecia. Foi ai que minha mulher resolveu me colocar no carro e me levar para um Posto de Urgência. Dai prá frente, não me lembro de mais nada.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 23/04/2006
Código do texto: T143720
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26782 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:22)
José Kappel