Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Atrevas a me roubar...vai!

Angélica T. Almstadter
03-05-05
 
    Não roubas somente os meus textos, rouba-me as horas de prazer que dediquei a escrever minhas experiências...roubas a emoção que apertava meu peito em cada palavra que eu digitei...
   Não conheces o lugar onde eu estive, os olhares que me olharam...e ainda assim, roubas de mim os flertes...os amores...os abraços e até a minhas pulsações ansiosas...
   Não estavas no meu leito...não conheces o corpo do meu amado...e ainda assim falas dele, como se fosse teu...não provastes o sabor desse beijo que é meu...mas insistes em falar dele, pelas minhas palavras...
Porque queres sentir as minhas emoções...as minhas angústias? Porque não te fechas em teu mundo e mergulha na tua intimidade para sentir as tuas próprias sensações?
   Ah, como podes querer que eu te respeite, quando nem a ti respeitas, te embrenhando nas minhas emoções...navegando nos meus sentimentos como se fossem os teus...rabiscando sobre as minhas palavras...tomando sem pudor o que eu vivi, para ti?
   Quantas horas debruçadas sobre o teclado teci essas tramas que bailavam na minha memória...quantas horas sonhei esses sonhos que hoje dizes que são teus...nem as lágrimas que derramei enquanto digitava com o coração apertando pelas minhas lembranças tu conheces, então como podes sair por aí desfilando as minhas dores como se fossem tuas e escritas sem nenhum um soluço? Como podes assinar as minhas vivências?
   Não roubas só os meus textos...tentas roubar a minh'alma...para te aventurares por um mundo que não conheces...por desejos que não experimentastes...não saberás o gosto dessa magia que é ter a alma livre como um pássaro...não saberás como se realizar em sonhos o que não podes provar no dia a dia...não terás esse mesmo sorriso que tenho agora nos lábios...por que não tens a mesma veia que ferve como a minha...ainda me enches de motivos para escorrer sem parar...
   Rouba-me....se és capaz? Quanto mais tu passeias como sombra a espreita de uma vítima, mais eu sinto gana de martelar essas teclas pra te denunciar!
 
 
(Na luta pela moralização da net, e defesa dos escritores e artistas)
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 03/05/2005
Código do texto: T14566

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55644 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:23)
Angélica Teresa Almstadter