Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Congonhas - I

Pela estrada donde venho
Com meu sonho sempre a arder
Olho em frente e ainda tenho
Mais sonhos para acender.

(António Torre da Guia)

Sonho é assim. Um a um vamos realizando-os todos. Agora chegou a vez de conhecer Congonhas. Saímos cedinho em direção à Coroas, onde nos esperavam Rodrigo, meu filho, e sua namorada Sandra. Seguimos pela Estrada Real e, em uma hora e meia, chegamos ao Centro da Cidade de Congonhas.
Lá fiquei de queixo caído,  admirando a beleza das obras de Aleijadinho. Aqui registro o que pesquisei  e também vi in locu.

Congonhas localiza-se na região  sul da Serra do Espinhaço, no Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais (Região: Sudeste)  e dista 78 km de Belo Horizonte.Sua população é de 41.256 habitantes

  O nome Congonhas vem do tipo de vegetação encontrada nos campos, uma planta que os índios chamavam Congõi, que em tupi significa "o que sustenta, o que alimenta." Nada mais sugestivo. Situada num vale e rodeada por imponentes montanhas, a cidade hoje alimenta a alma dos que desejam reviver uma época dourada. Congonhas do Campo foi um importante centro de mineração e dela saíram grandes fortunas. As pepitas de ouro chegavam a ter o tamanho de batatas, na famosa lavra chamada Batateiro. Em 1796, a força do ouro trouxe ao então distrito de Congonhas o escultor Aleijadinho, já consagrado naqueles tempos. Ali ele deixou para sempre a manifestação mais concreta da grandiosidade de sua arte.
O conjunto arquitetônico e artístico formado pela Igreja Basílica do Senhor Bom Jesus, os doze profetas de Aleijadinho e as seis Capelas dos Passos da Paixão, com 74 esculturas de Aleijadinho, foi tombado pela UNESCO como Monumento Cultural da Humanidade em dezembro de 1985. A cidade foi também berço da obra Marista no Brasil. A cidade adquiriu fama na década de 60, em virtude das curas efetuadas pelo médium Zé Arigó, que incorporava o espírito do médico alemão Fritz. Pessoas de todos os lugares do Brasil e do mundo convergiam para Congonhas em busca de suas curas.
Não tem como visitar Congonhas e não falar um pouco de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Nascido em Vila Rica, era filho do português Manuel Francisco Lisboa e sua escrava africana Isabel.
Devido a grande influência de seu pai, que já era escultor também, Antônio Francisco Lisboa pôde trabalhar com diversos artesãos da época, assim, bem cedo começou a trabalhar e fazer entalhamentos em madeira; sua escola foi a oficina de seu pai. Aos 13 anos fez seu primeiro projeto, o de um chafariz. Logo executou sua primeira obra, também um chafariz.

(continua)
fernanda araujo
Enviado por fernanda araujo em 27/04/2006
Reeditado em 27/04/2006
Código do texto: T146408
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
fernanda araujo
Divinópolis - Minas Gerais - Brasil
1058 textos (204288 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:33)
fernanda araujo