Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

GREVE DE FOME: O BRASIL NÃO MERECE

Diga-me apenas uma coisa: eu posso imputar a ti a responsabilidade da minha morte se caso te recusas a atender uma reivindicação minha? A Greve de Fome em síntese é isso. Não importa a roupagem que queiram dar ao ato, a essência é: ou me dás isso ou eu me mato. Para mim esse ato é um dos mais infames e covardes que existe porque eu te imponho o peso da minha morte mesmo que tu nunca nem se  quer imaginaste em me matar. Atinge o indivíduo e instituições, impõe o seu mal a todos.

O Brasil é um país lindo e tem um dos povos mais sadios do mundo: miscigenado, inteligente, criativo, lutador, solidário, trabalhador, vivo, pacífico... Tem muitos problemas, sabemos disso e sabemos que precisamos resolve-los, esse é o nosso desafio. Pagamos por muitos erros dos nossos governantes, seja por miopia política, por ganância, acumulo de poder, e outros interesses espúrios. Dá dó de nos vermos na mão do ágio internacional por causa daquele grupo que queria “salvar” o Brasil, dá dó de ver que aqueles que começaram a pagar essa conta infame foram intestinos nos métodos viciados e escusos de arrecadação de recursos para se manterem no poder, mas é a vida...

Temos três poderes cada um com seus tumores. Aquele ocupado pelos nossos “representantes” é tipo aquele sujeito cuja pústula já tomou cerca de trinta por cento do corpo e se arrasta fedendo entre as pessoas na rua tentando nos convencer que aquilo não é nada, está sob controle, “não pega”. São o próprio crime organizado e tão bem organizado, que nós, os que os constituímos nossos representantes, os vemos fazendo leis para si próprios e negociando acordos que estendam mantos sobre o pus que se derrama de seus corpos e nada mais podemos fazer... Ah, tem a próxima eleição! Muito bem lembrado... Podemos votar noutros... Vamos ver, então, quem eles nos apresentam: oh, dó! Que nojo! São eles de novo! Tem manipulador de opinião feito em discurso religioso... Tem aquele que vendeu tudo e até agora não prestou contas... Tem aquele que prometia redenção e justiça social, mas os executores se perderam por aqueles caminhos escuros que nós já os rejeitávamos nos seus antecessores... Tem aquele dos dólares, da lavagem de dinheiro... O representante da prostituição infantil, o do tráfico internacional de mulheres, o do cartel A, do cartel B, aquele da contravenção... Todos muito bem disfarçados em suas peles de ovelhas, mas o rabo peludo e escuro vai se arrastando pelas calçadas e até as criancinhas já sabem ver...

Já disse o que penso sobre o ato da greve de fome e quando vejo um político querendo trazer mais esta doença para dentro do nosso país, jogando com ela a seu favor, eu tripudio! Eu engulo a minha náusea para poder escrever e dizer: repudiemos essa prática hedionda do nosso meio, somos um povo ricamente abençoado em sabedoria e inteligência, saberemos construir a nossa nação, temos tudo para deixarmos o lixo do mundo no velho mundo: racismos, sectarismos, chantagens, escravidões...

Antes que essa coisa vire moda e eu tenha que acordar todo o santo dia com um imbecil qualquer me chantagiando com a ameaça de sentir-me culpado pelo seu ato covarde, proponho criarmos uma ONG de pessoas séria que no caso de algum político se lançar nessa empreitada, imediatamente ela mande uma comissão para certificar-se de que o ilustre representante do povo não esteja escamoteando comida de qualquer natureza, água ou soro; que vasculhem o local e observem assessores, familiares, serventes, outros parlamentares, a imprensa (no caso de algum repórter esquecer algum resto de água numa garrafa descartável ou o pessoal de apoio deixar cair uma bala ou cuspir um chiclete mascado) e, então, nos mantenham informados de que realmente o mané vai poder nos oferecer um espetáculo digno, podendo experimentar o quanto é rica a experiência de morrer de fome: ver as próprias órbitas oculares, poder contar suas falanges e costelas, igual vemos todos os dias nas fotos das crianças africanas, haitianas e brasileiras de diversas regiões... Nunca esquecendo de ser justa, afinal, até mesmo um político pode ser inocente, mostrando, então, todos os atos do grevista que direta ou indiretamente provocaram dor e desespero na população por falta dos recursos que pararam no círculo vicioso da política e que foram responsáveis pela falta de remédios e socorro nos hospitais e postos de saúde, que trouxe a morte para as famílias que tiveram os seus filhos mortos pela violência urbana de qualquer natureza e por aí a fora, que deixaram crianças morrendo de fome por conta de acordos econômicos ou simplesmente furtaram a merenda das escolas...

Ah, a ONG em questão deverá lembrar constantemente ao governo, quando a coisa pender para atingir a nossa soberania, que nós, o povo, não queremos que ele se dobre ao chantagista e se desdobre em acordos que só servirão para trazer mais usurpadores para dentro da máquina que já nos come por uma perna por conta da conta que temos que pagar... E à Justiça, lembrar nossos Promotores de Públicos, que não se deixem iludir com o jogo das coincidências e investiguem tudo de forma irrepreensível. É claro que coincidências existem, mas no caso de políticos elas pródigas: lembram-se daquele que ganhou dezenas de vezes na tão sonhada loteria? É comum sermos injustiçados ou perseguidos, lembram-se do regime militar? Será possível que esse governo tenha ranços daqueles tempos? Sejamos perspicazes...

Quanto ao próximo grevista de fome, fique atento! Não venha me sacanear com a tua chantagem porque eu vou fazer de tudo para segurar uma das alças do teu caixão; quero ver se tu é homem de sustentar-se em si mesmo.

Quanto a você, meu irmão ou irmã que me lê, se o meu desabafo e o meu sarcasmo passou da conta, entenda-me como um daqueles cidadãos que já não tolera mais tanta hipocrisia...
Chico Steffanello
Enviado por Chico Steffanello em 01/05/2006
Reeditado em 01/05/2006
Código do texto: T148571

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chico Steffanello
Sinop - Mato Grosso - Brasil, 58 anos
246 textos (31011 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:04)
Chico Steffanello