Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRAJETÓRIA

E se o sol desce sob nossos pés, se ao coração se prende
E se nos vem à vicissitude; todas as fantasias se encaixam
Se o ar da juventude uma graça se recusa
O vento volta a soprar outra vez.

No bar da esquina, na eqüina do bar, essa fantasia renasce
Da morte da velha ostentação; drama de uma demora certa
Da completa eternidade, é uma criança que não morreu
Nas palavras de alegria.
 
Então se te afastaste um dia da infância, pode voltar que não te esmaga
O dente do ciso nem a  senilidade.
Se os mesmos dementes, da mesma  paixão de outras vezes;
Trazem risos como expressão diante de certas gravidades;
Não embarques, porque na vida é muito triste ser dementes,
E  ainda bem que a sensibilidade nos permite voltar atrás.

Não tenhas medo de ser adulto sério; talvez
Tenhas medo de crescer, mudar e entrar no jogo...
Pois esse jogo nunca poderás deixar de jogar.

Se te ilude com futilidades e obrigações, tenhas cuidado
Com  o que te atrai, no mundo de ilusões.
Direi que te quero sério mas  é preciso sorrir;
Dizer sim a corrupção a quem quer que seja,
É melhor morrer  do que assim viver.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 04/05/2006
Reeditado em 04/05/2006
Código do texto: T150046
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3128 textos (79565 leituras)
2 e-livros (393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:14)
R J Cardoso