Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Felpudo X Felpudo

28/04/06
Felpudo X Felpudo

Felpudo foi morar numa noutra casa como forma de adaptar-se com os outros animais de diferentes raças e tamanhos: gatos, cachorros, patos, galinhas, e seus filhotes para ver se dava para formar uma só pirâmide de classe animalescas.
Este mesmo zoológico estava contaminado e condenado por todas as enfermidades, desde as mais simples até as fatais, do tipo calazar.
Como um bom filho, retornou à própria casa, porém, era preciso primeiro fazer um check-up: exame de sangue, de urina, de fezes, do ouvido, ver se não tinha carrapato, tomas as devidas vacinas, enfim, todos os exames possíveis.
Os donos do cãozinho estavam apreensíveis, já imaginando as eternas tragédias: falecimento, velórios, caixão, arranjo com a frase: saudade de um cachorro lindo, fofo que com suas travessuras detonou a vida da família. Mas o veterinário pediu que ligassem dentro de 24h, tempo necessário para o resultado final e conclusivo dos exames.
A cada segundo olhavam para o ponteiro do relógio, com intervalos de dez em dez minutos, caminhando de um lado para o outro. Parecia que as horas não passavam. Assim que deu a ultima badalada, ligou para o médico, que cinicamente disse que o animal estava condenado à morte. Que trouxessem o animal com urgência para sacrificá-lo e fazer dele um sabão como recordação do filho peludo. E ainda perguntou se queria que o sabão fosse colorido ou de uma cor só, e qual o formato que gostariam, que poderia ser de estrela ou da própria carinha do au, au.
Com esta lastimável notícia, iniciou-se uma onda de lágrimas de todos os familiares do cachorrinho. Uma das filhas dos donos buscou consolo nos braços da mãe que, preocupada com a saúde emocional da filha, ligou para o veterinário que confirmou o prognóstico. Mas ainda não acreditando do veredicto do médico, foi perguntando isso e aquilo, até que descobriu que o enfermo não era o seu  Felpudo e sim o seu xará. Até o outro Felpudo ataca, mesmo sem saber. Será sina dos Felpudos?

                                             Adriana Quezado

ADRIANA QUEZADO
Enviado por ADRIANA QUEZADO em 05/05/2006
Reeditado em 16/07/2008
Código do texto: T150618
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ADRIANA QUEZADO
Fortaleza - Ceará - Brasil
202 textos (13850 leituras)
1 e-livros (79 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 08:55)
ADRIANA QUEZADO