Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Ambição de uma máquina

Sou uma máquina. Comprada, carimbada, numerada como qualquer outra. Mas eu sou a melhor.
Com a função de calcular e fornecer todas as informações possíveis para meu mestre, o homem... Que nojo.
O homem usou sua pequena inteligência, para criar-me e desenvolver toda essa minha tecnologia moderna.
Mas, às vezes, o meu próprio mestre, cria máquinas de alta tecnologia que meus sensores, obrigados a isso, é claro, levam-me à violência, à loucura, até mesmo a morte, nas guerrilhas particulares, travadas entre os países de desenvolvimento superior ao meu.
E cada vez mais estou aperfeiçoando-me, nessa luta eterna de gerações. E não vou ficar para trás. Assim no esquecimento. Sou perfeita. Meu cérebro é o que comanda os meus sentidos. Minhas informações estão cada ves mais acumuladas em discos, disquetes ou fitas magnetizadas. Posso brincar, divertir, qualquer criança. Também posso magoá-las e fazê-las chorar. Posso humilhá-las. Posso até mesmo, com minha capacidade de atuar em todas as áreas do planeta, matar centenas de pessoas, com um simples aperto de um botão. Tenho a capacidade de disparar, mil tiros por segundo e de brinde posso oferecer algumas granadas ou até bombas atômicas, se caso necessário. Sou moderna, ocupo pouco espaço em sua empresa, substituo um funcionário do mais alto grau. Coitados dos operários, isso é brincadeira, posso ocupar o lugar de milhares. Eles que fiquem desempregados, o salário-desemprego paga. Eu não preciso de dinheiro, não gasto com nada, não dou despesas para você. Vivo assim. Como qualquer outra pessoa. Como sou competente, perante essa engenhoca que Deus fez, que é o homem. Não choro, não como, não fumo e não bebo. Não preciso descansar, nem dormir, não tenho necessidades fisiológicas. Isso é perda de tempo. Sou uma excelente atleta, para qualquer tipo de competição, enfim eu sou a melhor. Qualquer dia vou dominar até mesmo, meu próprio mestre. Só espero um dia poder livrar-me de uma maldita flecha e de uma maldita tomada. Falta somente isso para que eu possa realmente dominar o mundo dos seres humanos. Assim conseguirei montar minha própria raça. Sem seres humanos, para encherem meu saco, sem sentimentos ou qualquer tipo de depressão ou reação metabólica.

setembro de 1988
Bruxo Yahoo
Enviado por Bruxo Yahoo em 11/05/2006
Reeditado em 15/03/2011
Código do texto: T154434

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bruxo Yahoo
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 55 anos
130 textos (5549 leituras)
1 áudios (52 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 12:45)
Bruxo Yahoo