Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu mulher, mulher eu...

Eu mulher, mulher eu...

Quando danço, imagino que o cantor está declarando o seu amor por mim e eu, claro, mergulho neste momento frenético, tão especial, daquele escrito nas estrelas para os eternos amantes.
Lendo, também me identifico com um ou mais personagens, e, sem querer, entro na história, como se fizesse parte do enredo, especialmente daquele que luta por justiça, seja material ou moral.
Na novela "Alma Gêmea", tenho preferência pelo personagem da Drica Moraes, a Olívia, por ela gostar da vida, ter autoconfiança, ser vaidosíssima, e por ter vencido os obstáculos causados pelo seu ex-marido, em nome do amor por ela mesma, por seus filhos, por seu novo companheiro, pela vida e por sua força de vontade.
Em todos os momentos, curto com otimismo todas as artes, que para mim, significam muito em todos os sentidos, até mesmo para compor as criações literárias.
Ser mulher, para mim, é ser feliz por ser assim. É assumir minha feminilidade, ser simples, gostar de flor, amar amar e ser amada.

                            Adriana Quezado











ADRIANA QUEZADO
Enviado por ADRIANA QUEZADO em 12/05/2006
Reeditado em 16/07/2008
Código do texto: T154718
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ADRIANA QUEZADO
Fortaleza - Ceará - Brasil
202 textos (13849 leituras)
1 e-livros (76 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 13:05)
ADRIANA QUEZADO