Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS ROSAS NÃO FALAM

                                             AS ROSAS NÃO FALAM

E não é que estão querendo tirar do trono a rainha das flores? Li numa revista de jardinagem que as rosas devem ser plantadas nos jardins com muito critério, pois poderão torná-lo cafona . Juro que eu não sabia, mas saber me deu uma vontade imensa de plantar mais rosas depois de uma bobagem sem tamanho dita por quem  acha que seguir os manuais de decoração são o sentido primeiro da vida.
Adoro as rosas no pé, visito-as diariamente para contar quantos botões elas produziram e olhar demoradamente para as já abertas , servindo de alimento aos insetos .Até confesso que chego a conversar com elas, elogiando-as e mentalmente as ofereço a uma grande amiga que já partiu. Foi um pacto que fizemos quando ela gostou das rosas e eu disse que elas seriam dela também, sempre. Mal podia imaginar que ela morreria tão moça e tão repentinamente.
Agora me vem essa história de que as rosas estão estilizadas, enormes, modificadas geneticamente, de cores variadas, mais prontas para o mercado e os lucros do que para o que sempre esperei delas. Já tive uma coleção de rosinhas de penca e consegui  uma muda da rosa mais bonita , chamada Bela Helena. Esta roseira precisa de espaço e vira um arbusto. Quando floresce, fica impossível contar  tanta flor. São de um rosa suave e vivo.  .Outra crítica que a revista traz é de que rosas lembram o jardim da casa da avó.Querem lembrança melhor? Eu tive avós e elas tiveram os jardins e as plantas mais lindas que já vi.
Os jardins andam muito estilizados, muito mono, isto é, flores de uma só espécie. Gosto de variedade. Dá trabalho cuidar de plantas miúdas e dá um prazer sem preço poder curti-las.
Há um conto de Monteiro Lobato em que ele descreve o sofrimento do JARDINEIRO TIMÓTEO quando vê seu jardim ser substituído pelas plantas modernas. O sofrimento foi tanto, que ele morre. Não pretendo chegar a tanto, mesmo porque eu ainda posso decidir e ele, um pobre escravo, não podia.
Meu jardim externo é verde, feito de grama e pingo de ouro, que a tesoura do jardineiro proíbe de dar flor e  bolinhas douradas. Tenho o meu jardim secreto, feito do meu jeito e compartilhado com os pássaros. Quando o jardineiro me avisa de que há ninhos , a poda fica proibida.
Dizem que há roseiras que produzem uma única rosa. Soltam um pendão e nele nasce a flor. Há rosas azuis e pretas, mas não gosto delas e nem as conheço. Conheci uma planta esquisita. É uma rosa com galhos de outra espécie.Tanta tecnologia pode produzir muita flor belíssima, mas acho artificial. As outras são mais poéticas.
Gostando de flor, vou admirando-as por onde passo, plantando as que aprecio mais e usando-as para me fazerem companhia.
Quando volto ao meu jardim, muitas vezes com a certeza que devo chorar, as rosas falam.Falam porque vejo nelas um significado maior do que a forma , a cor e a delicadeza.
Se essa idéia de que plantar rosas  é fora de moda pegar, quem vai defendê-las?. Para muitos as rosas não falam. Enquanto puder, falarei por elas.

Maria Teoro Ângelo- 30-10-2005





Lillyangel
Enviado por Lillyangel em 12/05/2006
Código do texto: T154796
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lillyangel
Ituverava - São Paulo - Brasil
85 textos (8406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 11:09)
Lillyangel